Coreia do Norte

Coreanos fazem comício para recordar o início da guerra provocada pelos EUA

Pyongyang, 26 de junho (ACNC) — Por ocasião do dia da luta anti-ianque – 25 de junho – realizaram-se ontem na capital os comícios massivos com a participação de mais de 120.000 trabalhadores, jovens e estudantes da capital.

Participaram das ocasiões os secretários do Comitê Central do Partido do Trabalho da Coreia, Ri Il Hwan e Pak Thae Song, o secretário responsável do Comitê do PTC na cidade de Pyongyang, Kim Su Gil, o vice-premier Jon Sung Guk, o chefe do departamento do CC do PTC, Ri Tu Song, e os funcionários das entidades de massas e instituições, fábricas e empresas da capital, assim como os trabalhadores, jovens e estudantes.

Os oradores disseram que o dia 25 de junho continua sendo uma ferida incurável na alma do povo coreano que sofreu inúmeras desgraças e sofrimentos devido à guerra agressiva provocada pelos imperialistas norte-americanos.

Se tivéssemos sido fortes, não teríamos sofrido a tragédia da passada guerra da Coreia, quando a pátria foi inundada com o sangue de civis inocentes — apontaram, acrescentando que aquele domingo de junho de 1950 dá a resposta clara à pergunta de por que devem ser fortes.

O povo coreano sentiu na própria pele que somente com forças armadas poderosas pode defender a paz e tudo o que é valioso em sua pátria e, por isso, empunhou fortemente o armamento absoluto capaz de punir os imperialistas dos EUA e preparou o dissuasivo de guerra de caráter autodefensivo, em virtude da ideia do PTC de construção da autodefesa nacional — enfatizaram.

O acerto de contas com os EUA é a missão impostergável da nossa geração — asseveraram e expuseram a decisão de punir e aniquilar impiedosamente esses inimigos jurados do povo coreano.

Imediatamente depois, houve marchas massivas.

Os participantes marcharam gritando palavras de ordem pedindo o extermínio dos imperialistas ianques e dos traidores sul-coreanos que recorrem à imprudente campanha bélica contra a RPDC, ainda abrigando a irrisória tentativa de atropelá-la.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *