Coreia do NorteExércitoRelações Intercoreanas

Kim Yo Jong ridiculariza a conduta imprudente do círculo militar da Coreia do sul

Pyongyang, 7 de janeiro (ACNC) — A subchefe de departamento do Comitê Central do Partido do Trabalho da Coreia, Kim Yo Jong, divulgou no dia 7 a declaração intitulada “Julgamento errado, conjectura infundada, obstinação ilógica e bravata trarão desgraças irreparáveis”.

Que tipo de tragédia produzem a hostilidade extrema e a febre conflitiva?

Tal panorama foi encenado ao vivo pelos gângsteres do círculo militar da República da Coreia com suas ações.

No dia 6, a Junta de Chefes do Estado-Maior da República da Coreia publicou que o Norte realizou nos dias 5 e 6 o fogo de artilharia nas águas marítimas do sudoeste.

Segundo eles, o Norte lançou das 16:00 às 17:00 do dia 6 na parte noroeste da ilha Yonphyong mais de 60 projéteis que caíram na zona intermediária ao norte da “linha de limite ao Norte” no Mar Oeste.

Adicionaram que alertam seriamente e exigem fortemente do Norte a parada imediata do fogo de artilharia na zona de proibição de atos hostis que ameaça a paz da Península Coreana e agrava a tensão, e que o exército tomará as medidas militares correspondentes se o Norte ameaçar os habitantes sul-coreanos com o contínuo disparo de projéteis na mesma zona e responderá de maneira esmagadora no chamado princípio de reação imediata, categórica e consequente.

Os meios de imprensa da República da Coreia rasgam as vestes ecoando com seus jornais e telas esse comunicado dos gângsteres militares.

Seria desnecessário se referir a quanto pavor isso deve ter dado à população da República da Coreia.

A esta altura, parece que o Exército Popular da Coreia deve ter sido marcado como “provocador e principal culpado da exacerbação da situação”.

Mas, que nada! Nosso exército não lançou nem um único obus na referida zona marítima.

É que os gângsteres militares da República da Coreia engoliram a isca que lhes jogamos.

Realizamos uma operação enganosa para sondar a capacidade de detecção real deles, que se comportam com bravura e esperteza falando frequentemente da “vigilância com perseguição precisa” e “ataque ao foco de provocação”, e fazê-los passar por uma vergonha absurda pelas afirmações insistentes que fariam.

O EPC observou a reação dos gângsteres militares da ROK enquanto detonava pólvora simulando o som da artilharia costeira de 130mm por 60 vezes.

E aconteceu o que previmos.

Julgando mal como provocação de artilharia ao confundir a explosão de pólvora com tiro de canhão, eles mentiram descaradamente que o ponto de impacto dos projéteis estava na zona intermediária ao norte da “linha de limite ao Norte” no Mar Oeste.

De fato, não é nada novo o procedimento ridículo desses palhaços em uniforme militar.

São eles mesmos os que antes despacharam os caças confundindo um bando de pássaros sobrevoando as águas do Mar Oeste com um avião norte-coreano e insistiram absurdamente que uma porta de banheiro arrastada para uma colina é “um drone norte-coreano que invadiu o Sul”.

Eles, com tais antecedentes, engoliram nosso anzol de uma vez sem sequer experimentá-lo.

Sinto pena da situação da população sul-coreana que confia a “segurança” a esses imbecis carentes de discernimento e lhes paga enormes impostos.

Seria 10 vezes melhor confiar a “segurança” a um cão, com audição e olfato aguçados.

A que perigo será exposta Seul com, mais de 10 milhões de população, no caso de ocorrer um incidente imprevisto devido ao mau julgamento, conjectura infundada, obstinação injusta e bravata desses gângsteres militares tão ignorantes?

Dizem que um covarde tem medo até da própria sombra.

Não se sabe que bravura eles assumirão ao confundir um trovão no céu do Norte com um tiro de canhão do EPC.

Deixo claro mais uma vez que a trava de segurança do gatilho do nosso exército já foi removido.

Como declaramos, nosso exército responderá com fogo imediato a qualquer menor ação provocadora.

Eles devem ter bem presente que sua última muleta do princípio de “reação imediata, categórica e consequente” pode resultar na “morte no ato e contra a vontade e o fim trágico” se continuarem agindo com tal valentia.

Desgraças irreparáveis serão trazidas pelo mau julgamento, conjectura infundada, obstinação ilógica e valentia.

Em vídeo

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *