Coreia do NorteDiplomacia

Coreanos denunciam os EUA e o ocidente como os causadores do caos no oriente médio

Pyongyang, 8 de fevereiro (ACNC) — O secretário-geral da Associação Coreia-Árabe, Yang Myong Song, publicou um artigo intitulado “A única solução para a atual crise no Oriente Médio é acabar com a política de dois pesos e duas medidas dos EUA e do Ocidente”.

O texto segue:

Acompanhando a crise do Oriente Médio que persiste ano após ano, afundando-se no círculo vicioso de matança e vingança, as críticas internacionais aos EUA e ao Ocidente, que defendem unilateralmente o massacre antiético dos sionistas israelenses, tornam-se mais fortes.

No fórum ministerial da UE e da região do Indo-Pacífico, realizado recentemente em Bruxelas, representantes de vários países do mundo criticaram duramente que o Ocidente aplica a extremada política de dois pesos e duas medidas, assumindo posturas diferentes nos casos da Ucrânia e do Oriente Médio.

O chanceler indonésio apontou que nenhum Estado pode estar acima da lei e os países europeus devem fazer o correto e parar as barbáries na Faixa de Gaza, enquanto seu homólogo do Sri Lanka opinou que é inadmissível a a conduta de dois pesos e duas medidas quanto com a Ucrânia e o Oriente Médio.

Trata-se de uma crítica merecida à conduta descarada dos EUA e do Ocidente que, com relação ao incidente na Ucrânia, classificam a Rússia inocente como “invasora”, por um lado, e por outro, fecham os olhos para os crimes selvagens de Israel.

Historicamente, os EUA e o Ocidente plantaram na Palestina um fungo venenoso chamado Israel e o cultivaram de maneira sistemática, apesar da forte rejeição dos povos árabes, com a sinistra intenção de manter sua dominação sobre a região do Oriente Médio ao fomentar as contradições entre os árabes e os judeus.

Na 2ª reunião da Assembleia Geral da ONU, convocada em novembro de 1947, os EUA e os países ocidentais fabricaram a resolução criminosa de estabelecer um Estado dos árabes e outro dos judeus separando o território palestino e, depois da “fundação” do Estado de Israel, incentivaram o expansionismo territorial dos sionistas entregando-lhes grande número de armas.

Quando Israel reprimia cruelmente a justa luta dos palestinos recorrendo à ampliação de assentamentos israelitas e ao bloqueio da Faixa de Gaza, eles se colocaram ao lado de Israel fechando os olhos para suas barbáries.

A política de dois pesos e duas medidas dos EUA e do Ocidente a favor de Israel tornou-se mais evidente com a atual crise no Oriente Médio.

No momento da votação do projeto de resolução sobre o mesmo incidente no Conselho de Segurança da ONU, os EUA exerceram o veto com o argumento criminoso de que “não se referiu ao direito de autodefesa de Israel” e “o armistício na situação atual convém apenas ao Hamas”. Insatisfeito com isso, entregou a Israel até as armas mortíferas como a bomba de fósforo branco e “Bunkerburster” amparando em silêncio suas operações genocidas.

Também os políticos de alto escalão do Ocidente, como o presidente do Comitê da UE e o chanceler alemão, defenderam os atos criminosos de Israel dizendo que apoiam o direito de autodefesa deste país, que não pressupõe o cumprimento do direito internacional, e que um cessar-fogo pode dar ao Hamas o tempo para recuperar suas fileiras e adquirir mísseis.

Com relação a tal conduta pró-Israel dos EUA e do Ocidente, o Arab News criticou que o Ocidente vem tolerando a repressão contra os palestinos por parte de Israel falando hipocritamente da defesa dos direitos humanos e da democracia. Por sua vez, o Huan Qiu Shibao revelou que, devido às eleições e influências dos judeus nos EUA, este se torna partidário de Israel dando prioridade a seus interesses sem se importar com a vida dos palestinos.

O pesquisador da Associação de Estudos de Políticas Internacionais, Kim Tong Myong, opinou que, em virtude do incidente no Oriente Médio, muitos países censuram a política de dois pesos e duas medidas dos EUA e do Ocidente, acrescentando que até os países que antes se davam bem com eles estão passando para a fase prática de resolver o caso com base na lei e na ordem imparciais.

O comentarista de assuntos internacionais, Kang Jin Song, enfatizou que os cartazes de “democracia” e “DDHH”, que os EUA e o Ocidente levantavam para intervir nos assuntos internos de outros países, foram muito expostos pela política de dois pesos e duas medidas. Apontou que são duramente criticados em todo o mundo nas cenas internacionais e nas pesquisas devido à política externa de caráter egocêntrico e seletivo, o que produz um efeito contrário ao cumprimento do objetivo de manter uma ordem internacional sob seu controle.

Como consequência da violência antiética dos sionistas israelenses incentivados pelo amparo dos EUA e do Ocidente, foram relatados até agora cerca de 100.000 mortos e feridos entre o povo palestino, e a periculosidade de que essa praga se estenda a todo o Oriente Médio e ao mundo inteiro, ultrapassando os limites da Faixa de Gaza, aumenta a cada dia.

A realidade demonstra que a política externa de caráter egocêntrico e dual dos EUA e do Ocidente é o catalisador que leva a já instável situação político-militar internacional de agora ao desastre e perigo maiores e que, enquanto isso for tolerado, nunca se realizarão a paz e a estabilidade do mundo, anseio da humanidade.

A única solução para o atual incidente no Oriente Médio, que se agrava a cada dia, reside em pôr fim à política de dois pesos e duas medidas dos EUA e do Ocidente.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *