O tesouro mais inestimável de um revolucionário

Muitos homens no mundo pensam que o dinheiro é onipotente. Porém, há algo que não é possível comprar ou trocar por nenhum o ouro. É precisamente a nobre ideia, o nobre espírito.

Kim Il Sung (1912-1994) considerou a sublime ideia, o nobre espírito, como o mais precioso tesouro de um revolucionário.

Para ele, o dinheiro e o tesouro material só tinham significado quando serviam para o bem-estar do povo. Nem uma vez os considerou em relação à sua vida privada.

Durante sua existência, atendeu a todos os importantes assuntos estatais e dedicou tudo de si para a vitória da revolução coreana e a causa da realização da independência do mundo, mas negou constantemente as propostas dos funcionários de aumentar seu salário.

Aqui está um episódio.

Em novembro de 1993, na Fazenda Cooperativa de Wonhwa do condado de Phyongwon da província de Phyong-an do Sul, foi realizado o ato de balanço anual e distribuição.

A cerimônia adotou a resolução de apresentar Kim Il Sung inscrito como o agricultor honorário desde o período da cooperativização agrícola socialista após a guerra coreana (1950-1953) e dar a parcela de distribuição, uma soma de 102.485 wons economizados até então. Tratava-se da expressão de gratidão a ele que, no tempo da guerra, junto com os camponeses do local, plantou na terra as sementes, iluminou o caminho a seguir pela fazenda e atendeu minuciosamente à vida econômica da mesma.

Kim Il Sung providenciou que a soma fosse empregada na compra de tratores, caminhões e máquinas agrícolas para a fazenda.

Na Coreia, num pitoresco monte chamado Myohyang, está localizada a Exposição Permanente de Amizade Internacional que guarda numerosos e preciosos presentes dos dirigentes, das personalidades, das organizações e das instituições de vários países enviados a Kim Il Sung.

O Presidente Kim Il Sung nunca pensou que os presentes eram apenas para si mesmo. Os regalos que recebemos são todos — disse ele — bens do país e não uma propriedade individual e devemos mantê-los na exposição de presentes.

Em geral, políticos não fazem de público conhecimento os presentes recebidos. Considerando-os puramente como sinal de sua personalidade e dignidade, eles os guardam e consomem por si mesmos. No caso de mostrá-los a outros, eles os tornam um objeto de orgulho de suas personalidades.

Mas o Presidente Kim Il Sung fez que mesmo os presentes recebidos fossem tesouro do país, do povo, que serão transmitidos geração após geração.

Leave a Reply

Your email address will not be published.