Porta-voz do MINREX condena “resolução de direitos humanos” anti-RPDC

Pyongyang, 3 de abril (ACNC) — O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da República Popular Democrática da Coreia publicou, no dia 3, a declaração que segue:

Foi aprovada de maneira forçada a chamada “resolução de direitos humanos” contra a RPDC na 49ª reunião do Conselho de Direitos Humanos da ONU, realizada no dia primeiro.

O Ministério das Relações Exteriores da RPDC condena categoricamente e rejeita totalmente a “resolução de direitos humanos”, produto da ilegal e cruel política hostil dos EUA contra a RPDC, estigmatizando-a como grave violação da soberania e provocação política contra o nosso Estado.

Como reconhece a imparcial sociedade internacional, a “resolução de direitos humanos” anti-RPDC, que os EUA e os países ocidentais propõem todos os anos, não tem nada a ver com os genuínos direitos humanos nem passa de um meio hostil mais politizado para manchar a dignidade da mui digna RPDC e suprimir os autênticos direitos e interesses do povo coreano.

Na RPDC, onde se implementa a política de primazia das massas populares nas atividades do Estado e toda a vida social, os direitos e interesses delas são preferencial e absolutamente garantidos e estas exercem os direitos humanos mais genuínos que convêm totalmente a seus ideais e demandas.

O papel de “juiz dos direitos humanos” é ridiculamente assumido pelos EUA e os países ocidentais onde imperam os males sociais de todo tipo e a violação institucional dos direitos humanos, tais como a discriminação racial, a xenofobia, a violência contra as mulheres, a violação dos direitos das crianças, a violência policial, os crimes ligados a armas de fogo, fato que significa o cúmulo do engano, hipocrisia, cinismo e conduta de padrão duplo.

Expressamos séria preocupação de que o Conselho de Direitos Humanos da ONU se converta em um instrumento para o cumprimento das injustas metas políticas dos EUA e dos países ocidentais esquecendo sua missão natural de rejeitar a politização, a seletividade e a conduta de duplo padrão no tema de direitos humanos e contribuir para o fomento da defesa dos direitos humanos em escala mundial através do diálogo e da cooperação e no princípio da imparcialidade e objetividade.

A sociedade internacional deverá redobrar a vigilância sobre a grave tendência de abusar do tema dos direitos humanos como pretexto e condutor da violação da soberania, intervenção em assuntos internos, invasão armada e derrubada de regime de acordo com o doentio objetivo político dos EUA e dos países ocidentais, assim como rejeitá-la e repudiá-la tangentemente.

Os direitos humanos são precisamente a soberania nacional.

Sem tolerar nem um pouco os atos hostis dos EUA e seus satélites, a RPDC fará todo o possível para defender o regime socialista, apreciado como sua vida pelo povo coreano, e os direitos genuínos deste.

Leave a Reply

Your email address will not be published.