Entidades de massas celebram dia da promulgação da Lei de Igualdade de Direitos do Homem e da Mulher

Pyongyang, 30 julho (ACNC) — Por ocasião do dia comemorativo da promulgação da Lei de Igualdade de Direitos do Homem e da Mulher, tiveram lugar no dia 29 nas entidades de massas os encontros com as mulheres da geração passada.

Participaram nas ocasiões os funcionários e integrantes da União de Trabalhadores Agrícolas da Coreia e da União Socialista de Mulheres da Coreia.

Foram escutadas as palavras das heroínas da época de Chollima que trabalharam com toda a sinceridade pela pátria e pelo povo.

Mais de 70 anos se passaram desde a promulgação da lei e igualdade — recordaram e relataram sobre a vida honrosa e feliz que as mulheres coreanas vieram levando sob os cuidados do Partido durante esses anos.

Ri Sin Ja, que se reuniu com os trabalhadores agrícolas no pátio de educação em frente ao Museu da História Revolucionária de Rihyon, disse que pôde crescer como agitadora vermelha e heroína do trabalho de fama nacional graças à atenção solícita do Presidente Kim Il Sung e do Dirigente Kim Jong Il.

A chefe da Empresa Distribuidora de Publicações do distrito de Phyongchon, Kim Jong Sun, reuniu-se com as integrantes da USMC na Casa da Mulher.

Contou que ao enviar-lhe uma carta após ler o artigo no jornal sobre sua conduta louvável, o Presidente Kim Il Sung elogiou o resgate das 7 alunas que caíram em um buraco no gelo por ela como um exemplo de espírito comunista.

A tecelã da Fábrica Têxtil Kim Jong Suk de Pyongyang, Jon Ok Hwa, formou-se como operadora de muitas máquinas, distinta inovadora e heroína do Trabalho no calor do movimento Chollima.

Jon se referiu ao nobre mundo espiritual das mulheres daquela época que trabalharam incansavelmente para superar os planos diários.

As heroínas do tempo de Chollima e as integrantes do grupo de agitação artística da USMC entoaram juntas a “Canção de precursores do movimento Chollima”.

Leave a Reply

Your email address will not be published.