Discurso de orientação política de Kim Jong Un na Ⅶ sessão da ⅩⅣ Legislatura da Assembleia Popular Suprema

Pyongyang, 10 de setembro (ACNC) — O estimado camarada Kim Jong Un proferiu, no dia 8, um discurso de orientação política na Ⅶ sessão da ⅩⅣ Legislatura da Assembleia Popular Suprema da República Popular Democrática da Coreia.

O texto completo segue:

Queridos camaradas deputados:

Estimados presidente do Presidium e vice-presidente da Assembleia Popular Suprema,

Observadores:

Esta Ⅶ sessão da ⅩⅣ legislatura da Assembleia Popular Suprema, convocada às vésperas do aniversário da fundação de nossa gloriosa pátria, proporcionou-nos instrumentos legais de grande significado para a execução das medidas políticas importantes do Partido e do Estado.

Em particular, a adoção da lei relacionada às forças armadas nucleares do Estado pela vontade unânime de todo o povo constitui um acontecimento transcendental que declarou ao interior e ao exterior que passamos a possuir por lei o dissuasivo de guerra como meio de defesa do Estado.

Com isso, alcançou-se outra importante causa histórica da estruturação de um mecanismo político e institucional capaz de garantir a segurança permanente e até o futuro longínquo do Estado e do povo.

Reconhecendo que a referida política se legalizou num momento histórico sumamente importante tendo em vista a conjuntura em que se encontra a revolução, a virada que vai tomando a situação e a missão das forças armadas nucleares da República, agradeço a todos os deputados por terem aprovado por unanimidade a resolução de maior responsabilidade num momento que requer o mais elevado senso da mesma.

Igualmente, estendo minhas mais fervorosas saudações de estímulo a vocês que, como representantes do povo, dedicam toda sua força, engenho e entusiasmo para consolidar o poder estatal e alcançar as metas de luta traçadas pelo Ⅷ Congresso do Partido do Trabalho da Coreia.

Camaradas:

Quanto mais alto o estágio da construção socialista para realizar a independência das massas populares, maior se torna o desafio e a resistência dos imperialistas.

Enquanto existir o imperialismo, cuja natureza e meio de subsistência são a agressão e o saque, não se eliminará jamais a origem da guerra. No desenvolvimento da história são inevitáveis as contradições e a luta entre ele e o socialismo, que aspira à independência e à paz.

Portanto, preparar condições e ambientes que neutralizem qualquer agressão e ameaça ao contínuo desenvolvimento e prosperidade do socialismo torna-se um imperativo de vital importância. Para isso, é preciso ter uma força absoluta que nos permita vencer o inimigo com uma vitória esmagadora.

Nossa República, como baluarte da luta anti-imperialista e do socialismo, já colocou o ponto final na era de ameaça nuclear unilateral do imperialismo estadunidense ao promover firmemente a sua capacidade autodefensiva nacional segundo seu próprio cronograma, incólume diante das intervenções e pressões das forças hostis de todo tipo.

E hoje cumpriu a causa histórica de estabelecer como lei a sua política sobre as forças armadas nucleares.

Esta é uma demonstração mais clara da determinação independente do Governo da República e sua vontade inabalável de defender a todo custo os direitos e interesses do Estado.

Nossas armas nucleares são meios de dissuasão e armas de superioridade absoluta que a nossa República, vítima já desde seus primeiros anos da chantagem nuclear dos Estados Unidos, que foi o primeiro a utilizá-las e é a maior potência do mundo, adquiriu ao cabo de dezenas de anos de árdua e sangrenta luta.

Agora os EUA concentram sua atenção em difundir rumores encaminhados a “demonizar” nosso governo no cenário internacional argumentando absurdamente que nossas armas nucleares e empenho de potencializar a capacidade de autodefesa ameaçam seriamente a paz do mundo e a segurança da região. Além disso, agarra-se obstinadamente ao bloqueio, às sanções e às ofensivas políticas e militares sem precedentes com a mobilização de todos os seus seguidores para nos reprimir física e psicologicamente.

O que pretendem é eliminar a própria existência de nossas armas nucleares e, a longo prazo, privar-nos delas e forçar-nos à renúncia ou ao enfraquecimento da capacidade do exercício da soberania para, mais cedo ou mais tarde, conseguir o desmoronamento de nosso sistema.

Tenta criar um ambiente árduo e esgotar-nos mediante o bloqueio e as sanções sem paralelo, incutir-nos o temor da ameaça e a incerteza do desenvolvimento e do ambiente estáveis do Estado, fazer com que reparemos no preço que devemos pagar por termos escolhido as armas nucleares, motivar o descontentamento do povo com o Partido e o governo e obrigar-nos a renúncia nuclear.

Como se enganam!

Este é o erro de julgamento e de cálculo do inimigo.

Que nos sancionem por 100 e 1000 dias, 10 e 100 anos.

Não somos nós que renunciaremos ao exercício da autodefesa de que dependem o direito da nação à existência e a segurança do futuro do Estado e do povo, numa tentativa de desviar por um momento das dificuldades que estamos passando agora. Independente das piores circunstâncias que tenhamos que enfrentar, em um ambiente político e militar criado pelos EUA em que se encontra a Península Coreana e, além disso, para nós que temos a tarefa prospectiva de conter o adversário nuclear que é os EUA, abrir mão de nossas armas nucleares é absolutamente impossível.

Nosso povo recorda bem muitos os eventos ocorridos no século passado e no presente em que povos tiveram um infeliz e trágico fim pela decisão equivocada de prestar ouvidos aos sermões e falácias do imperialismo e capitular diante de suas sanções, pressões e ameaças militares.

Nossa geração não buscará um ambiente de vida econômica aparentemente melhorada em troca das armas nucleares, garantia da segurança do Governo e das futuras gerações, em uma tentativa de encontrar nosso próprio conforto e escapar das dificuldades de hoje, deixando-nos levar pelos argumentos astutos do inimigo e vencidos por suas teimosas pressões. Por mais duras e múltiplas que sejam as provas, seguiremos fiéis à nossa escolha, para ficarmos como maior e mais forte geração na história do desenvolvimento da nossa República.

Os Estados Unidos não poderão jamais materializar seus desígnios contra nosso Estado nem fazer com que nosso povo mude sua escolha.

De qual lado está o tempo?

Não somos nós, mas o inimigo que está pressionado agora. Não nos sentimos pressionados e somos plenamente capazes de viver por nossos próprios esforços e à nossa maneira, mesmo nessas circunstâncias.

A brutal política de hostilidade dos Estados Unidos prolonga as horas de sofrimento do nosso povo, mas em proporção direta, cresce a um ritmo acelerado nossa força absoluta que, por sua vez, ameaça a segurança norte-americana.

As forças armadas nucleares da República cumprirão com responsabilidade sua importante missão de reter as graves provocações políticas e militares dos Estados Unidos e seus seguidores e controlar suas ameaças em perspectiva – tal é o conteúdo da lei estatal que veio à luz hoje.

Nossa República aprecia mais do que tudo a soberania, a autoestima e o destino do povo, não perdoa jamais as hostilidades que os contrariam e faz incondicionalmente o que diz, por isso foi capaz de tomar a audaciosa decisão política de legalizar a política sobre as forças armadas nucleares do Estado.

Nesta época, em que a busca pela hegemonia é mais desenfreada que nunca, o mundo verá com seus próprios olhos um Estado verdadeiramente soberano e justo e a força irresistível de uma República que, com a cabeça erguida, enfrenta o império do mal.

Camaradas:

Relembrando a árdua e longa jornada da nossa revolução, que começou com duas pistolas, não posso evitar que meu coração se esquente ao evocar os fatos condensados em sua história.

Mesmo que os resultados que alcançamos sejam realmente grandes, são ainda mais valiosos e pesados pois os obtivemos à custa do apoio e suporte incondicionais, do sangue e do suor inestimáveis e de dificuldades indescritíveis de todo o povo.

Na verdade, construir as forças armadas nucleares da República e aperfeiçoar os preparativos de guerra enfrentando sozinho as forças aliadas imperialistas e frustrando suas selvagens manobras de sanção e estrangulamento tem sido uma luta de vida ou morte que tivemos que travar diante de sofrimentos e provações incalculáveis.

Isso significa que nossos amados filhos e todas as outras pessoas tiveram que apertar ainda mais os cintos e sofrer com mais fome e que todas as nossas queridas famílias tiveram que passar por terríveis dificuldades na vida.

Embora tenha sido uma escolha inevitável em prol de uma vitória maior, tivemos que pagar um preço muito alto e foi um caminho inexplorado cujo resultado não podia ser previsto facilmente.

No entanto, nosso povo apoiou absolutamente e sustentou com tudo de si a causa do Partido que começou apenas confiando nele.

Excepcionais foram as contribuições de nossos cientistas e técnicos para a realização do empreendimento histórico da construção das forças armadas nucleares do Estado, mas se não fosse pelo povo que, com todos os seus sofrimentos duros e persistentes, não se dobra jamais e está sempre convencido da vitória, não poderíamos ter trilhado o caminho da posse de armas nucleares até o fim nem teríamos um dia como hoje em que a República ratifica a mencionada lei.

Com sua força e patriotismo únicos e fervorosos, nosso povo finalmente superou todas as provações e elevou ao alto do céu a glória e a intocável dignidade do nosso Estado.

Em nome do Partido e do governo, estendo meus sinceros agradecimentos ao nosso povo em todo o país.

Camaradas:

Ter estabelecido como lei a referida política, segundo a unânime e férrea vontade do povo, tem um significado realmente transcendental.

Com ela, tornou-se irreversível a posição do nosso Estado como possuidor de armas nucleares.

Para que mude, em um futuro, a nossa política nuclear, é preciso mudar o mundo e o ambiente político e militar na Península Coreana.

Nunca haverá algo como nosso abandono das armas nucleares ou desnuclearização primeiro, tampouco haverá negociações para esse fim nem barganha nesse processo.

As armas nucleares são o poder e a imagem do nosso Estado, a força absoluta da República e o grande orgulho do povo coreano.

Enquanto no mundo existam armas nucleares, perdure o imperialismo e não cessem as manobras dos Estados Unidos e seus seguidores contra nossa República, continuaremos consolidando as forças armadas nucleares.

As forças nucleares da República são precisamente o destino do país e do povo e sua eterna dignidade – esta é nossa invariável posição.

A legalização assume um grande significado por ter traçado uma linha intransponível para que não possam mais pechinchar sobre nossas armas nucleares.

Também esclarece a posição de amor à paz do nosso Governo e a transparência e justeza da política do nosso Estado sobre as forças armadas nucleares.

Viver em paz em um mundo livre da agressão e da guerra é o desejo da humanidade.

No entanto, a paz não vem por si mesma simplesmente porque a desejam, é algo que só pode ser alcançado e defendido com a força capaz de conter a tirania imperialista.

A referida promulgação é um golpe justo ao imperialismo que prejudica e destrói a soberania e a paz.

As forças armadas nucleares da República existem e são utilizadas não para intervir nos assuntos internos de outras nações nem buscar a hegemonia, mas para defender nosso território, povo e dignidade da tirania do imperialismo e salvaguardar a paz e a segurança mundiais. Portanto, não constituem nenhum perigo para o país ou o povo que nos tratam amigavelmente e desejam a paz.

Devido às peculiaridades das armas nucleares, é preciso determinar claramente pela lei as normas e princípios sobre seu manuseio e operação.

Caso contrário, fora do controle, podem ser abusadas para outros objetivos ou usurpadas para interesses espúrios e, a qualquer momento, mergulhar a humanidade em uma terrível catástrofe nuclear.

A presente lei estipula claramente os incisos sobre a missão e a composição das forças armadas nucleares, o controle de seu comando, os princípios e condições de seu uso, sua segura manutenção, manejo e proteção, etc.

Portanto, está totalmente de acordo com o desejo da humanidade amante da justiça e da paz e, doravante, ninguém criticará ou questionará nossas forças armadas nucleares.

Ter preparado uma arma legal que garante o avanço histórico para o desenvolvimento integral do socialismo ao nosso estilo é um motivo transcendental para redobrar o ânimo de luta de todo o povo, junto com as orgulhosas vitórias e os êxitos que alcançamos este ano.

No presente ano, o governo da República encarou a importante tarefa de pavimentar o caminho para cumprir o Plano Quinquenal traçado pelo Ⅷ Congresso do Partido.

Este caminho foi acompanhado de dificuldades e provações inéditas em qualquer tarefa, mas nossa luta foi mais ousada e avançada e deu frutos mais preciosos.

Neste ano obtivemos um grande triunfo ao superar, com a unidade monolítica e com a luta tenaz, a ameaçadora crise sanitária mundial, sem precedentes na história da República, conseguir que o país estivesse livre do vírus maligno e defender a segurança do Estado e do povo.

Ao vencer com rapidez na guerra antiepidêmica, contrariando as dúvidas de todo o mundo, mostramos ao máximo o poderio político-ideológico e a superioridade do sistema socialista, fato que infundiu maior confiança e orgulho ao povo de todo o país e os encorajou ativamente a fazer esforços mais dinâmicos pela construção socialista.

À crise epidêmica de emergência máxima somaram-se os desastres naturais, mas isto não pôde impedir que todo o povo se empenhasse com maior ousadia, sem pessimismo, desânimo, temor ou desesperança, para impulsionar com tenacidade as tarefas agrícolas, a construção de obras importantes e outras colossais tarefas de luta deste ano, o que constituem portentosas conquistas que nos enchem de orgulho.

Nos principais setores industriais como o metalúrgico, o químico, o elétrico, o carbonífero e o transporte ferroviário, pilares da indústria independente, assim como em outros ramos relacionados diretamente com a melhoria da vida da população, êxitos ressoantes foram alcançados através da ofensiva para cumprir o plano de produção.

Aperfeiçoam-se o comando e a administração unificados dos trabalhos gerais do Estado, incluindo o econômico, recupera-se seu caráter socialista e se projetam e impulsionam as tarefas de médio e longo alcance a serem cumpridas dezenas de anos depois, o qual constitui um alicerce para o desenvolvimento econômico do país e o bem-estar do povo.

A investigação técnico-científica canalizou-se decisivamente para resolver os problemas da realidade de acordo com planos e objetivos práticos, a educação avança de forma equilibrada na direção da formação de talentos verdadeiramente úteis, a saúde pública adquiriu experiências práticas e valiosas que lhe permitem enfrentar qualquer crise epidêmica e sanitária e avanços significativos também são percebidos na cultura socialista.

Os triunfos e êxitos alcançados neste ano constatam que a República continua avançando para o desenvolvimento e a prosperidade integrais, superando os desafios objetivos e subjetivos e sem estagnar nem deter-se.

Camaradas:

Nossa República, que hasteia mais alto a bandeira da independência e da justiça, assume uma missão importante perante a época e a história e isso exige uma luta e um avanço mais audaciosos e uma vitória maior.

Não há a menor dúvida de que, aterrorizadas pela resoluta determinação política de nossa República, que acaba de legalizar uma importante medida política, as forças reacionárias de todo tipo ajam com mais desespero e pânico.

A menos que mude a ilusão instintiva profundamente arraigada das forças hostis que abrigam o delírio de nos desarmar completamente com o método tradicional da ameaça, da chantagem, da sanção e da sedução e de derrubar algum dia o nosso sistema, continuarão em nosso caminho os desafios e obstáculos que nos esperam a cada passo.

O mundo observará com grande interesse como será mantida a escolha do nosso povo de construir um poderoso país socialista, como a Coreia cumprirá sua determinação e que outros milagres surpreendentes serão operados nesta terra.

Ser mais fortes nas provas, colher vitórias cada vez maiores e avançar ininterruptamente são características típicas da nossa República, evidenciadas em seu trajeto.

Cabe a nós seguirmos nos fortalecendo em atenção ao nosso princípio invariável, não nos desviarmos jamais do caminho pelo qual optamos e cumprir de maneira incondicional e impecável as tarefas de luta.

Hoje o Governo da República assume a tarefa de manter e implementar cabalmente as linhas e políticas do Partido, assim como inovar e desenvolver todos os setores em sintonia com o prestígio do Estado.

A primeiríssima tarefa revolucionária que enfrenta é conceder maior prioridade e importância à capacidade de defesa nacional, tornar infinita a sua força absoluta e indestrutíveis as suas forças armadas.

As características geopolíticas e a posição estratégica de nosso país e a situação prevalecente criada ante a nossa revolução demandam como requisito indispensável a firme superioridade militar do nosso Estado sobre o imperialismo.

Depois de presenciar o avanço em alguns ramos da defesa nacional que tornamos públicos nos últimos anos, os Estados Unidos sentiram uma grande inquietude pelo futuro que o aguarda. Por isso, se agarra às sinistras manobras de sanção e bloqueio e, ao mesmo tempo, nos ameaça seriamente com sua demonstração de força através da grande quantidade de armas de ataque que introduziram nas proximidades da Península Coreana.

Por sua vez, o atual “governo” sul-coreano insiste na lógica bandidesca de nos conter para compensar sua inferioridade militar, fala ruidosamente da necessidade de reforçar a capacidade de defesa da aliança Coreia do Sul-Estados Unidos mediante uma maior “capacidade prática de ampliação e dissuasão” e de reforçar a capacidade de “reação” com o estabelecimento do “sistema de três eixos de estilo coreano” e se dedica mais às ações militares perigosas e à brincadeira armamentista que tornam ainda mais tensa a situação da região.

Todos estes fatos preocupantes mostram que a situação militar da Península e seu entorno assumiu uma natureza prolongada, indo de mal a pior, e que, portanto, devemos estar bem preparados.

Contudo, a tensão da situação nos oferece ótimas condições e ambiente para o rápido desenvolvimento das forças militares e, mais importante, a justeza do fortalecimento de nossa capacidade de autodefesa e a justificativa inevitável de sua priorização.

O Ministério da Defesa Nacional e a indústria do mesmo ramo da República tomarão esta conjuntura como excelente oportunidade para o fortalecimento militar.

A esta indústria incumbe manter corretamente o rumo de seu desenvolvimento planejado e ativar o desenvolvimento de armamentos da nova geração adequados à guerra moderna, em resposta à estratégia e à ideia lançadas pelo último congresso do Partido.

É muito importante a tarefa de continuar ampliando o espaço de manejo de armas nucleares táticas e conseguir em um nível mais alto a diversificação de seus meios de aplicação com vistas a elevar a confiabilidade combativa de nossas forças armadas nucleares e a efetividade do manejo operacional, aperfeiçoando por todos os meios os preparativos para o combate nuclear.

Igualmente, é necessário impulsionar incessantemente a tarefa de empregar armas estratégicas e táticas com tecnologia de ponta para os combates reais e destinar esforços para potencializar consideravelmente o dissuasivo de guerra.

Há que consolidar o poderio político-ideológico típico de nosso Estado e manifestá-lo plenamente em todos os setores.

Todo o povo está firmemente unido com uma mesma ideologia e vontade, virtude e amor e consagra todo o seu ser pela prosperidade da Pátria – isto constitui uma superioridade única do nosso país e a força motriz que cria todos os grandes milagres nesta terra.

Devem reforçar com a mesma ideia e vontade e o senso de dever moral o poderio da unidade monolítica, força irresistível do socialismo ao nosso estilo e arma mais poderosa do nosso Estado.

É preciso materializar genuinamente em todos os afazeres estatais a política do nosso Partido de dar primazia às massas populares e fomentar as atividades do poder para que todo o povo participe ativamente nos assuntos políticos como dono do Estado e da sociedade.

Devemos incutir em todos os membros da sociedade o orgulho de que são os melhores a nossa ideologia, o nosso sistema, a nossa cultura e a nossa vida e conseguir que continuem predominando em nossa sociedade o coletivismo, as virtudes comunistas e os belos traços.

Nosso país prosperará sempre com vigor quando todos se desenvolverem como autênticos trabalhadores socialistas que priorizam os interesses estatais e coletivos, forem fiéis aos seus deveres cívicos e exibirem seu patriotismo pelo desenvolvimento e a prosperidade.

Devemos dedicar grande esforço a preparar toda a população, os oficiais e soldados do Exército Popular como combatentes de vanguarda e postos avançados da luta de classe que defendem com firmeza seu país socialista com um intransigente conceito sobre o inimigo principal e os outros e, assim, consolidar nossa base política, ideológica e posição classista.

O Governo da República deve impulsionar com dinamismo o cumprimento do Plano Quinquenal para o desenvolvimento da economia Nacional e a expansão dos êxitos às etapas seguintes.

Sua tarefa mais importante é consolidar com certeza a base para o desenvolvimento integral do socialismo ao nosso estilo mediante o cumprimento infalível de tal plano e solucionar de forma satisfatória os problemas prementes relacionados com a melhoria da vida populacional, entre outros o alimentar e de artigos de consumo massivo.

O Plano visa o desenvolvimento econômico sustentado e a melhoria notável da vida do povo de acordo com a situação e as possibilidades reais da economia nacional.

Ao concluir o Plano Quinquenal, serão reajustados e reforçados o sistema de trabalho, os vínculos entre setores e o fundamento independente da economia nacional e, por conseguinte, toda a economia nacional entrará em uma etapa de crescimento e mudanças substanciais serão operadas na solução de problemas como alimentação, vestuário e alojamento dos habitantes.

Com efeito, segundo a estratégia de reajuste e reforço aplicada nos últimos 20 meses, fortaleceram-se a artéria e a integridade da economia nacional, corrigiram-se muitas deficiências na administração econômica e impulsionaram-se ativamente a produção normal, a remodelação de seu processo e o abastecimento de matérias-primas e materiais com recursos domésticos. Particularmente, acelerou-se a construção de moradias em Pyongyang – para 50.000 núcleos familiares –, em outras localidades e no campo, o que abre uma ampla perspectiva para a solução do problema de moradias.

Se nos atermos ao esclarecido no Ⅷ Congresso do Partido, ou seja, que no final de 2025 o PIB e a produção de artigos de consumo em massa aumentarão mais de 1,4 e 1,3 vezes, respectivamente, em comparação com os de 2020, o cumprimento do Plano Quinquenal é uma garantia para dar impulso ao desenvolvimento econômico e à melhoria da vida populacional e para marchar com confiança para um próximo estágio de luta maior.

Embora as dificuldades econômicas que nos são apresentadas agora sejam graves, o Governo da República, encarregado do destino e da vida do povo, traçará um rumo adequado para o cumprimento do Plano Quinquenal, o levará à prática com toda a força e colherá êxitos infalivelmente.

O Conselho de Ministros, comando da economia nacional, deve controlar cabalmente o conjunto dela e orientar de forma correta sua construção e desenvolvimento no sentido de impulsioná-la geralmente.

Compete-lhe, como é devido, planejar e dirigir com acerto o trabalho destinado a fomentar de forma simultânea e equilibrada o conjunto da economia nacional.

Dedicará grande força aos setores-chave que formam a base da economia nacional e, por sua vez, dirigirá os demais setores e atenderá todos os aspectos da vida do povo com cuidado e responsabilidade.

À medida que se intensificam o sistema e a ordem para a concentração dos trabalhos econômicos do país no Conselho de Ministro, deve controlar rigorosamente o estado geral das atividades produtivas e econômicas, assegurar os vínculos e a cooperação orgânicos entre distintos setores e tomar a tempo as medidas práticas destinadas a reativar os setores estagnados ou atrasados, mantendo, assim, o equilíbrio, a flexibilidade e a eficácia nos afazeres econômicos nacionais.

É necessário seguir prestando atenção primordial à produção agrícola e ao desenvolvimento da indústria ligeira com a finalidade de resolver dentro de alguns anos o problema alimentar e o de artigos de consumo massivo.

Toda a política econômica do nosso Partido e governo serve para cobrir de forma satisfatória as demandas materiais e econômicas da população e oferecer-lhe uma vida abundante e invejável.

A construção socialista que impulsionamos ininterruptamente é também uma luta para construir a sociedade ideal com que o povo sonha. Quanto mais se intensificar essa luta, tanto mais reais e acessíveis para o povo devem ser os produtos.

Um trabalho econômico que não possa resolver devidamente sequer um problema básico que aflige a população e lhe cause sofrimentos não serve para nada, por mais que nos empenhemos nela.

Estabilizar e melhorar a vida do povo urge resolver o problema da alimentação e artigos de consumo massivo.

Durante o Plano Quinquenal é preciso fornecer ao povo suficientes alimentos com o cumprimento cabal do plano estatal de produção de cereais e solucionar satisfatoriamente o problema de artigos de primeira necessidade e de condimentos ao elevar quantitativa e qualitativamente a produção na indústria ligeira.

Para este efeito, apresenta-se como tarefa importante cultivar de maneira estável a terra, incrementar a produtividade, mudar a estrutura de produção de cereais e melhorar seu armazenamento e o fornecimento de alimentos.

Prevê-se que se tornem cada vez mais desfavoráveis as condições e o ambiente de cultivo, motivo pelo qual é necessário tomar medidas adequadas ao respeito.

Na agricultura, medidas científicas e técnicas, como a revolução das sementes, devem ser tomadas como elo de toda a cadeia agrícola para que se obtenha uma colheita alta e estável independente das mudanças meteorológicas e climáticas. Todo o país deve ser mobilizado para ajudar o campo e provê-lo com materiais suficientes para um ano.

Em particular, os funcionários, sempre conscientes de que são permanentes as desfavoráveis condições meteorológicas e climáticas, devem analisar detalhadamente o conjunto da produção agrícola e, a partir de sua análise, dirigi-la de maneira científica e planejada.

Um método importante para evitar os bruscos altos e baixos na produção agrícola e garantir sua estabilidade é restaurar e aperfeiçoar as instalações de irrigação.

É necessária uma mobilização de todo o país para terminar sem falta, dentro de dois ou três anos, o trabalho de sua reparação, ampliação e remodelação.

Começaram a aumentar, este ano, as plantações de trigo e sua produtividade, tarefa que deve continuar no futuro, simultaneamente com seu armazenamento e processamento, de maneira que a política do Partido e do Governo destinada a melhorar a vida alimentar do povo prove seu valor na realidade.

Apoiando o programa da revolução rural na nova época, é preciso acelerar o progresso do campo.

O progresso do campo significa precisamente a solução do problema rural socialista e a defesa do socialismo.

Como expõe o referido programa, a primordial tarefa no progresso do campo é ilustrar os agricultores.

Ao transformar a consciência dos agricultores, protagonistas da revolução rural, eles podem desempenhar o papel principal e ativo na materialização do programa com o critério correto sobre ele e contribuir para ilustrar e desenvolver ainda mais a zona rural socialista conforme a exigência da época de constantes mudanças.

Para ampliar o alcance de sua consciência ideológica, é indispensável injetar avanço e modernidade no campo.

Devemos impulsionar energicamente o trabalho de modernizar o ambiente da produção agrícola mediante a cientifização, modernização e informatização da produção e a mecanização do trabalho em um alto nível. Ao fazer isso, podemos não apenas operar uma mudança na consciência ideológica dos agricultores, mas também enriquecer todas as zonas rurais.

Devemos traçar exatamente o plano da construção rural de acordo com as características de cada zona e região e priorizar a edificação de habitações, assim como cumpri-lo com rigor por etapas, para que o progresso acelerado do nosso campo seja visível e que os agricultores se beneficiem dele.

É necessário desenvolver a pesca para poder abastecer de mais peixes o povo.

No setor, devem fomentar a captura e a criação de peixes no mar e, ao mesmo tempo, realizar em grande escala e com perseverança as diferentes formas, como a liberação de alevinos e a criação em tanques-rede em todos os rios e lagos.

A este respeito, é importante aumentar de forma planejada a produção de peixes com base numa investigação científica e periódica sobre a proteção e reprodução dos recursos aquáticos.

É preciso dar estímulo à revolução da indústria leve destinada a resolver o problema dos artigos de uso massivo.

A qualidade dos artigos é o cerne e a direção fundamental dessa revolução.

Se nós, empenhados apenas em cumprir os planos imediatos, continuarmos a produzir bens de consumo atrasados, ignorando a demanda e os desejos do povo que se torna cada dia mais culto, a indústria leve do país entrará em um ciclo vicioso e nenhum desenvolvimento seu poderá ser esperado.

O setor deve ajudar seus cientistas, técnicos e trabalhadores a ampliar seus horizontes, elevar ininterruptamente suas qualificações, assegurar a qualidade das matérias-primas e materiais, modernizar o processo produtivo, ser exigente na supervisão de qualidade, assim como garantir a qualidade dos artigos tomando como padrão a avaliação dos consumidores.

Ao fortalecer as indústrias regionais em todo o país, devemos inaugurar uma nova era na qual as regiões mudam e se desenvolvem por conta própria.

Se as fábricas de todas as cidades e condados desempenharem seu papel devidamente, serão muitos os problemas resolvidos para o desenvolvimento da economia nacional e a melhoria da vida do povo.

Devemos avançar com força o trabalho de expandir para todas as cidades e condados do país a experiência prática do condado de Kimhwa que renovou suas fábricas da indústria local e está atendendo às demandas locais com suas próprias fontes de matéria-prima.

Nesse sentido, um comitê estatal de promoção que se encarregue do projeto, construção e outros trabalhos de modernização das fábricas da indústria leve deve ser formado.

Por ser ainda fraca a capacidade das cidades e condados, depois de modernizá-las, devem tomar medidas de fornecimento de matérias-primas e fazer investimentos iniciais para que possam caminhar com as próprias pernas.

Nessas fábricas devem se concentrar em melhorar qualidade de seus produtos e, assim, contribuir substancialmente para a melhoria da vida dos habitantes do local, e geri-las por conta própria por meio da reprodução ampliada.

No cumprimento do Plano Quinquenal, as indústrias-chave devem continuar a erguer a bandeira e liderar o conjunto da economia nacional.

Somente quando nelas, alicerces e pilares da economia independente, for alcançada uma grande ascensão produtiva, será possível impulsionar o conjunto da economia nacional e prever com clareza o desenvolvimento econômico da etapa seguinte.

Por isso que o Partido e o Governo investiram somas colossais para reativar as indústrias metalúrgica e química e planejam tomar mais medidas econômicas e práticas necessárias para modernizar as principais indústrias, como a elétrica, expandir sua capacidade e normalizar a produção.

As indústrias-chave como a metalúrgica e química devem cumprir infalivelmente e a todo custo o plano de produção ao mesmo tempo que realizam com persistência os planos relativos à estratégia de reajuste e reforço e, desta maneira, consolidar a força motriz e a potencialidade para o crescimento e desenvolvimento da economia nacional.

Em especial, devem fazer de forma regular e com previsão a gestão de mão-de-obra, equipamentos e tecnologia para prevenir perdas originadas por diferentes acidentes relacionados a equipamentos e estreitar as relações entre a produção e o consumo do ponto de vista estatal, de modo que as indústrias-chave progridam sem problema algum.

Partindo do ponto de vista de que economia é precisamente aumento da produção e patriotismo, todos os setores e unidades da economia nacional devem melhorar a gestão empresarial para tirar o máximo proveito economizando tanto quanto possível a mão-de-obra, energia, materiais e terreno e, desta maneira, fazer contribuições reais para o desenvolvimento da economia nacional e a melhoria da vida do povo.

É preciso elaborar projetos prospectivos de grande importância para o desenvolvimento econômico e a vida da população e impulsioná-los de maneira planejada e por etapas.

Envolver-se apenas na produção imediata sob o pretexto da difícil situação econômica do país é autopreservação, recuo e uma expressão de renúncia à revolução.

É um genuíno patriota aquele que trabalha com a convicção de projetar, organizar e realizar todas as tarefas, sejam grandes ou pequenas, para que nossos descendentes possam desfrutar plenamente.

Se realmente querem servir ao povo e se consagrar à prosperidade da pátria, devem ter um grande ideal e propor-se a altas metas e dedicar-se com obstinação à sua realização.

Há que seguir concentrando forças nos trabalhos destinados a oferecer ao nosso povo as condições ótimas de vida, entre elas a construção de moradias para 50.000 núcleos familiares na cidade de Pyongyang e as fazendas de estufas de grande envergadura.

Para planejar e construir continuamente as obras de grande dimensão, temos de levantar as bases de produção de materiais de construção de grande capacidade na capital e outras localidades e assegurar por conta própria os materiais de acabamento e outros de qualidade.

Por meio da conclusão bem-sucedida dessas obras, devemos demonstrar o desenvolvimento e o futuro luminoso do nosso Estado em que se realizam um após o outro os desejos seculares do povo.

É preciso calcular cientificamente e planejar precisamente os trabalhos econômicos em perspectiva como a construção de um grande canal que ligua o Mar Leste com o Mar Oeste e, uma vez iniciadas as obras, terminá-las sem falta concentrando forças estatais.

Atualmente, o Governo da República deve impulsionar como tarefas de grande importância a manutenção do território nacional e a prevenção de desastres naturais.

As imensas perdas humanas e materiais causadas pelas anomalias climáticas cada dia mais severas tornam-se um problema global hoje e nosso país também as sofre a cada ano.

Controlar a água é controlar a natureza e o controle de enchentes é um trabalho de médio e longo prazo.

Hoje os projetos de controle de enchentes limitam-se a cavar leitos de rios ou construir muros de contenção em suas margens.

Devemos colocar a gestão da água sobre uma base científica, fazendo uma avaliação precisa da capacidade de controle da água dos rios e córregos do país, criando pontos de amortecimento com base nisso e, assim, aperfeiçoar o sistema de gestão da água.

É necessário seguir prestando muita atenção ao reforço da capacidade preventiva estatal para minimizar os danos causados por calamidades naturais. De imediato, devemos dotar todas as províncias, cidades e condados de pessoal e equipamentos suficientes para socorrer pessoas no caso de inundação.

Há que acelerar a nível nacional a campanha de reflorestamento, o ajuste do curso fluvial para prevenir a erosão, a construção de quebra-mares, a reconstrução de estradas e outros trabalhos para a manutenção territorial e a proteção do ambiente.

Camaradas:

Dar importância à educação, à ciência, à tecnologia e à saúde pública e dedicar forças ao seu desenvolvimento é uma política invariável do Governo da República.

Agora, mais do que nunca, precisamos de mais talentos, realmente competentes, e realizações científicas e técnicas que contribuam para resolver os problemas pendentes na realidade.

Ao Governo da República compete definir a estratégia de talentos e do desenvolvimento científico e técnico como uma das principais para a prosperidade integral do Estado e impulsionar com pujança a sua realização.

Atualmente a qualidade do ensino do país não acompanha a tendência mundial nem a exigência da época.

A educação não visa a formação de talentos competentes com capacidade prática mas se limita à educação pela educação, ou para a avaliação de notas, e, assim, não contribui para o desenvolvimento nacional.

No setor, devem se empenhar em selecionar cuidadosamente as disciplinas de maneira que os estudantes possam dedicar horas e esforços para adquirir mais conhecimentos aplicáveis à prática e em elevar significativamente o nível de seus conhecimentos melhorando decisivamente a qualidade do ensino obrigatório universal de 12 anos.

Deve-se elevar incessantemente o nível de ensino na Universidade Tecnológica Kim Chaek e em outros centros técnicos até que seja de nível mundial para preparar todos os graduados como cientistas e técnicos competentes e promissores.

Esforços estatais devem ser continuamente direcionados para proporcionar aos professores e estudantes do centro e das localidades excelentes condições para educação, prática e estudo.

É necessário elevar o nível e o papel das ciências e da tecnologia assim como aumentar e administrar efetivamente os recursos de talentos técnicos.

Como para desenvolver as ciências e a tecnologia é necessário preparar os meios de pesquisa e os talentos, o Estado deve dar sempre atenção a isso e tomar medidas efetivas destinadas a resolver esses problemas.

Como venho enfatizando, o setor de pesquisa científica deve se precaver rigorosamente contra a atitude de contabilizar apenas o número de realizações de pesquisa e apresentar resultados técnico-científicos adequados, mesmo que sejam alguns por ano, capazes de realmente contribuir à economia nacional.

Em todos os setores e unidades devem estudar regularmente o funcionamento das bases de divulgação de conhecimentos científicos e técnicos, centros principais de formação de todo o povo como talentos, e fazer balanços substanciais, enquanto intensificam ininterruptamente tal divulgação para, assim, revigorar o movimento das massas pela inovação técnica.

É necessário realizar bem a nível nacional os trabalhos de compartilhar, assimilar e informar os êxitos técnico-científicos, assegurar boas condições de leitura de dados e dar tratamentos preferenciais e avaliar bem as excelentes unidades, cientistas e técnicos, conseguindo que reine em toda a sociedade o ambiente de apreço à ciência e à tecnologia.

É imprescindível melhorar incessantemente o serviço médico para preservar e fomentar a vida e a saúde dos habitantes.

Através da recente crise de saúde pública, foi integralmente avaliado o estado atual do nosso setor de saúde pública e ficou ainda mais comprovada a urgência de aumentar seu nível e capacidade.

Partindo da concepção de que a vida e a saúde das pessoas vêm primeiro, devemos resolver antes de tudo os problemas urgentes no serviço médico.

Como o país é incapaz de produzir todos os suprimentos médicos por si só, os suprimentos necessários para o tratamento das pessoas e a promoção de sua saúde devem ser fornecidos tranquilamente, mesmo que tenhamos que importá-los.

Ao mesmo tempo, temos de impulsionar de modo ativo a construção e modernização de laboratórios farmacêuticos e de fábricas de instrumentos médicos e de artigos de consumo sanitários de modo que diversos medicamentos, incluindo suprimentos médicos essenciais, possam ser produzidos, renovar os hospitais nas províncias, cidades e condados e impulsionar de maneira planejada o bom gerenciamento padrão das farmácias.

No setor da saúde, todos os médicos e enfermeiros devem ter a qualidade de guardião da vida humana e as qualidades comunistas.

Devem buscar que todos aprendam ativamente do espírito de sacrifício dos profissionais da saúde que todos admiraram na recente campanha de erradicação do vírus maligno, de modo que se possam encontrar em todas partes do país médicos excelentes que tenham gravada no coração ardente a palavra “sinceridade”.

É imperioso prestar atenção a alcançar o nível dos países adiantados na ciência e na tecnologia médicas e aperfeiçoar o sistema de serviço médico de carácter popular, progressivo e eficaz.

É necessário acelerar a construção da capacidade preventiva do Estado, tarefa inadiável de importância nacional por vários indícios de que outras epidemias possam aparecer no futuro.

É indispensável estudar detalhadamente e cumprir cabalmente cada uma das tarefas apresentadas na Ⅴ Sessão Plenária do Ⅷ período do Comitê Central do Partido e no Balanço Nacional do Trabalho Antiepidêmico de Emergência.

Sobretudo, a nível nacional, deve-se observar atentamente as flutuações e características da pandemia no exterior do território e prestar atenção à preparação da capacidade de detectá-la e controlá-la assim que tenha sido introduzida no país.

Recentemente, a Organização Mundial da Saúde e as instituições sanitárias de vários países alertam para a necessidade de enfrentar, além da propagação do coronavírus, a de uma gripe perigosa no próximo inverno.

E nossos especialistas em prevenção de epidemias acreditam que os títulos de anticorpos produzidos em nosso povo ao sofrer com a epidemia maligna em maio e junho cairiam por volta de outubro.

Por isso, além de realizar a vacinação com responsabilidade, devemos recomendar que todos os moradores usem máscara para proteger sua própria saúde a partir de novembro.

Camaradas:

A atual situação internacional evidencia que as contradições entre a justiça e a injustiça e entre o progresso e a reação, em particular, a estrutura de forças em torno da Península Coreana, estão se tornando mais óbvias e mostra que se acelera notavelmente a transição do mundo unipolar, defendido pelos EUA, para o mundo multipolar.

Nossa República desenvolverá com iniciativa as relações exteriores conforme a atual tendência da situação internacional e à sua posição como potência independente.

Ao setor dos assuntos estrangeiros compete manter invariável e firmemente como missão primordial da diplomacia da República a defesa da dignidade do Partido, a valorização do prestígio nacional e a defesa dos interesses nacionais e resolver de acordo com os interesses da nossa revolução os problemas que enfrentam nas relações internacionais.

Deve estreitar os laços de amizade e cooperação com os países vizinhos, cooperar com todos os países e nações que se opõem à agressão, intervenção, dominação e subjugação dos imperialistas e aspiram à independência e à justiça, independente das diferenças de ideologias e sistemas, e desenvolver multilateralmente as relações internacionais.

Ao mesmo tempo, é necessário buscar soluções diplomáticas para fomentar em diferentes domínios os intercâmbios e a cooperação com os países capitalistas que respeitam e tratam amigavelmente o nosso país.

A fim de materializar as tarefas acima mencionadas que tem pela frente o Governo da República e conseguir que a orgulhosa vitória de hoje dê lugar a outra maior na construção socialista, é preciso estabelecer estritamente o sistema de direção única do Partido na construção e nas atividades do Estado.

O Governo da República, tomando como padrões absolutos a linha, a política e a orientação do Partido, deve organizar e dirigir todos os trabalhos e direcionar com firmeza as suas atividades à realização da política do Partido.

Todas as instituições governamentais devem estabelecer uma rigorosa disciplina revolucionária que lhes permita aceitar incondicionalmente as resoluções e instruções do Partido e executá-las sem falta e tomar como princípio inviolável informar o Partido dos problemas que enfrentam e lidar com eles segundo suas conclusões.

Há que melhorar a função e o papel dos órgãos de Poder Popular.

Por abranger todas as esferas da vida social, o trabalho dos órgãos do poder é muito complexo e enorme e na mesma medida são muito importantes seu dever e papel.

Bem conscientes de sua missão como representantes do prestigioso poder da República em suas respectivas regiões e encarregados de cuidar da vida do povo, todos devem cumprir impecavelmente suas obrigações.

Há que organizar e dirigir com responsabilidade o cumprimento cabal das políticas e diretivas do Partido e do governo para suas regiões e unidades e criar condições e ambiente que tornem ágeis e eficazes os trabalhos e as atividades dos organismos, empresas, entidades cooperativas e habitantes.

Devem fazer esforços abnegados para que as medidas populares do Partido e do Governo beneficiem todas as crianças e famílias, cuidar constantemente da água potável, do combustível e de outros problemas que afligem o povo e tomar medidas com antecedência para que não sofram nenhum desconforto.

Os quadros, membros de comando da revolução, devem redobrar a coragem e lutar unanimemente com extraordinária determinação ideológica e decisão.

Em nossa sociedade devem ser, literalmente, servos do povo.

“Quadro” não é nenhum cargo honorário ou de autoridade e o valor de sua existência é impensável à parte de sua missão natural de servir ao povo.

Uma sociedade socialista deixa de ser se os quadros levam uma vida acomodada e luxuosa e maiores sofrimentos caem sobre o povo.

Não devem esquecer jamais que suas posições exigem que carreguem fardos mais pesados e trabalhem mais do que ninguém em prol do Partido, da revolução, da Pátria e do povo, mas ser infinitamente honestos no cumprimento de seu dever, sob pressão permanente, com alto senso de responsabilidade e sem se distrair nem um momento.

Se assumirem uma nova tarefa, não devem contorná-la contorná-la nem cumpri-la superficialmente, mas concluí-la com grande sucesso fazendo um plano detalhado, comandando o trabalho e se entregando a ele com o traço de dar exemplos pessoais para trazer bons resultados.

Para elevar o senso de responsabilidade e o papel no trabalho e serem dignos perante o Partido e o povo, devem se forjar constantemente no aspecto espiritual e moral e se esforçar por ser trabalhadores realmente indispensáveis que saibam cumprir impecavelmente seus deveres, consagrando-se plenamente à revolução e ao trabalho.

Deputados:

Em breve comemoraremos o 74º aniversário da fundação da gloriosa República Popular Democrática da Coreia.

Por ocasião de seu significativo dia, nossa República registrou com letras douradas em sua gloriosa história outro acontecimento transcendental que exibe com mais clareza o aspecto imponente da prestigiosa potência independente.

Quanto mais sucessos e vitórias alcançam nosso nobre ideal e sagrada causa, tanto maiores serão as provações e adversidades que temos que superar.

Hoje, nossa luta envolve dificuldades sem precedentes e não sabemos que outro desafio irá dificultar o nosso caminho.

No entanto, nossa República avança com certeza, sem hesitação alguma, e continuará avançando e se fortalecendo porque nossa causa, nossa ideia e nossa linha são todas justiça e verdade, e temos a grande força da unidade do Partido e das massas populares que nada no mundo pode romper.

Camaradas:

A vitória é certamente nossa, e quanto mais nos esforçarmos, mais cedo ela virá.

Pela eterna prosperidade da República, nossa amada mãe,

Pelo bem-estar do nosso grande povo

Pelo avanço vitorioso do socialismo ao nosso estilo,

Lutemos todos com mais vigor firmemente unidos em torno do Comitê Central do Partido do Trabalho da Coreia com uma só ideia e vontade

Viva a República Popular Democrática da Coreia!

Leave a Reply

Your email address will not be published.