CelebraçãoCoreia do NorteExército

Desfile de forças paramilitares pelos 75 anos da RPD da Coreia

Pyongyang, 9 de setembro (ACNC) — A República Popular Democrática da Coreia, nascida carregando em seu nome a palavra alusiva ao povo pela primeira vez na história nacional de cinco milênios, acolhe o 75º aniversário de sua fundação, abrindo excelentes perspectivas pela construção do país próspero e exército poderoso e avança impetuosamente pela órbita de ascensão para nova vitória e prosperidade mantendo o nobre ideário de Iminwichon (considerar o povo como o céu) e segurando no alto a bandeira da independência, autossustento e autodefesa.

Sob a orientação do invencível Partido do Trabalho da Coreia, o heroico povo coreano levou ao topo do século a dignidade e honra da única potência político-ideológica e militar com o inesgotável poderio da unidade monolítica.

Em sua crônica coroada com grande luta, vitória, criação e mudança, está registrado o trajeto combativo das forças de defesa civil jucehanas que garantiram a prosperidade da pátria empunhando o fuzil numa mão e a foice, o martelo e o pincel na outra.

Teve lugar com solenidade no dia 8 na Praça Kim Il Sung da capital o desfile das forças paramilitares em homenagem ao 75º aniversário da fundação da RPDC.

A praça estava repleta dos espectadores alegres e emocionados pela celebração do dia de fundação da grande potência por onde passariam as fileiras do desfile que realizaram méritos no cumprimento da sagrada causa pela fundação da RPDC e seu fortalecimento.

Os esportistas da aeronáutica aumentaram o clima festivo demonstrando suas habilidades de descida coletivo e estendendo a bandeira nacional de grande tamanho no céu noturno da capital.

Uma esquadrilha de aviões em formação de 75 realizou o voo lançando fogos de artifício como se inscrevesse no céu a história da pátria resplandecente.

Em seguida, realizou-se a cerimônia musical da banda militar geral.

Com o júbilo daquele dia em que foi proclamada a fundação do Estado soberano e independente com a interpretação do hino nacional que reflete a vontade do povo de marchar à frente de todo o mundo com a firme unidade baseada na verdade, os membros da banda militar descreveram nas melodias e ritmos vigorosos a história da construção da Coreia do Juche que veio ostentando seu poderio como país heroico e milagroso.

Enquanto isso, a guarda de honra do Exército Popular da Coreia demonstrou as habilidades de manejo das armas.

Na sequência, entraram na praça as colunas do desfile ostentando o poder da grande potência e ímpeto do povo valente que marcha rumo ao futuro maravilhoso logrando saltos vertiginosos com o propósito de se tornar rico, poderoso e próspero com as forças e meios próprios.

As forças paramilitares, que fazem parte das forças armadas revolucionárias do Partido e desempenham o papel de defensor do Poder da RPDC, fortaleceram-se sob a guia do PTC como unidade de flanco do EPC, pilar de defesa nacional, e força principal de defesa da retaguarda e terra natal, cumpriram excelentemente sua missão e dever honrosos de defender a pátria e impulsionar a construção socialista e fizeram grande contribuição para consolidar o sistema defensivo de todo o povo e todo o Estado.

Os participantes no desfile estavam decididos a se dedicar à criação e construção em seus centros de trabalho no tempo de paz e lançar-se ao combate implacável aos inimigos tomando armas em suas mãos no momento emergencial.

Esteve presente no desfile militar o estimado camarada Kim Jong Un.

Ao som da música de boas-vindas, saiu na tribuna o Secretário-Geral do Partido do Trabalho da Coreia que, com sua destacada ideia em matéria de construção do Estado, comprovada liderança e dedicação incansável, leva ao topo da história nacional o poder e prestígio do Estado e realiza o anseio milenar nacional de transformar a pátria em uma potência.

Todos os participantes o receberam com estrondosas aclamações.

O Secretário-Geral respondeu cordialmente com a mão levantada aos aplausos dos efetivos de desfile e dos participantes nas festividades.

Saíram na tribuna Kim Tok Hun, membro do Presidium do Bureau Político do Comitê Central do PTC, vice-presidente da Comissão de Assuntos Estatais e primeiro-ministro da RPDC, seguido pelos quadros diretivos do Partido e do governo.

Junto com o Secretário-Geral e sua querida filha, tomaram assentos na plateia da tribuna os marechais Ri Byong Chol e Pak Jong Chon e os altos comandantes do exército.

As crianças entregaram ramos de flores fragrantes ao Secretário-Geral e aos quadros do Partido e do governo.

Estiveram presentes na tribuna os quadros veteranos que trabalharam durante longo tempo nas instituições do Partido e do governo.

Foram convidados a delegação do Partido e do governo da República Popular da China, liderada por Liu Guozhong, membro do Bureau Político do Comitê Central do Partido Comunista da China e vice-premier do Conselho de Estado, e os membros do Conjunto Artístico Acadêmico Alexandrov do Exército Russo, que estão visitando a Coreia para celebrar o 75º aniversário da fundação da RPDC, bem como os representantes diplomáticos da China e da Rússia, credenciados na Coreia.

Destacavam-se nos assentos para convidados os participantes nas festividades do dia nacional.

Realizou-se com solenidade a cerimônia de hasteamento da bandeira nacional da RPDC.

Na praça repleta de habitantes satisfeitos por esta oportunidade de celebrar significativamente a história gloriosa de 75 anos da querida pátria, apareceram junto com a esquadra de escoltas os guardas de honra carregando a bandeira nacional em suas mãos.

Enquanto o hino nacional era tocado com solenidade, foi hasteada a sagrada bandeira nacional que simboliza a justiça e a vitória eterna.

Todos os participantes prestaram homenagem à bandeira nacional da RPDC, Estado mui digno.

Fogos de artifício foram lançados traduzindo a firme vontade dos coreanos de amar e glorificar geração após geração a pátria socialista que foi fundada segundo o propósito do povo e sai sempre vitoriosa com sua aspiração e força.

21 salvas foram disparadas em meio à interpretação da canção “Pátria radiante”.

Em seguida, realizou-se a revisão dos preparativos para o desfile.

O chefe de departamento do Comitê Central do PTC, O Il Jong, inspecionou as unidades alinhadas para a revisão prévia.

E informou cortesmente ao Secretário-Geral do PTC que o desfile das forças de defesa civil estava pronto.

Assim, teve início a marcha impetuosa das colunas de forças paramilitares que aceleram os preparativos perfeitos para a resistência de todo o povo sendo um dos dois pilares das forças armadas da RPDC junto com o Exército Popular da Coreia.

À frente marchou a coluna da divisão dos militantes partidários da capital, coletivo medular do Partido, que colocou em pleno jogo o poderio de destacamento especial nos campos mais candentes de defesa do povo cumprindo o papel de guarda-costas que defende mais perto o Comitê Central do Partido, Estado-Maior Supremo da revolução coreana.

Carregando a bandeira vermelha, passaram com dignidade o bloco da Guarda Vermelha Operário-Camponesa desta capital, o da província de Phyong-an do Norte que defende a porta fronteiriça ocidental da pátria, e o da província de Phyong-an do Sul, satélite de Pyongyang.

Seguiram-lhes os grupos das províncias de Hwanghae do Norte e do Sul, vanguardas do setor agrícola que apoiam na primeira linha o propósito do CC do Partido que definiu a produção de grãos como a primeira das 12 metas importantes para o desenvolvimento da economia nacional.

As esquadras provinciais de Jagang e Kangwon avançaram vigorosamente com o orgulho excepcional de serem criadoras do espírito da época que confirmaram como se defendem a causa revolucionária e a ideia e linhas do Partido no curso da história e desempenharam o papel de tocha e pedra angular para o avanço e saltos da pátria fazendo uso do espírito de autoconfiança e perseverança.

Avançaram com o ímpeto vitorioso as fileiras das províncias de Hamgyong do Norte e do Sul, sedes de grandes bases industriais, e as da província de Ryanggang, muro em defesa do Paektu, lugar sagrado da revolução coreana, e as das cidades diretamente subordinadas ao centro.

Os ocupantes da tribuna enviaram saudação combativa às esquadras que marchavam a passos firmes demonstrando a firme vontade de cumprir sua sagrada missão e dever nas duas frentes: a defesa da pátria e a construção socialista, com o orgulho, convicção e coragem de defensor da grande potência, e de escrever a história de vitória com o temperamento heroico da Guarda Vermelha Operário-Camponesa preparado para o combate um contra cem, se chegar o momento da grande guerra pela reunificação da pátria.

Os efetivos do desfile deram vivas a plenos pulmões prestando homenagem ao CC do PTC, que apresentou a meta de desenvolver ao nível do Exército Popular a capacidade técnico-militar da Guarda Vermelha Operário-Camponesa conforme as características da guerra moderna e às condições reais do país e escreve nova crônica de seu fortalecimento com a profunda perspicácia teórico-militar e orientação enérgica.

Ostentando a nobreza das unidades valentes que marcham adiante sob qualquer risco em resposta ao chamado do Partido, atravessaram a praça as colunas da Universidade Kim Il Sung e da Universidade Tecnológica Kim Chaek que dão continuidade de geração em geração e de século em século à história e tradição orgulhosas de considerar a fidelidade ao Partido e ao líder como seu primeiro dever e mantêm a fama de centros máximos da educação do Juche e exemplares para a formação de talentos revolucionários.

Entraram na praça os blocos do Complexo Siderúrgico de Hwanghae e do Complexo Químico Juventude de Namhung, que fazem parte dos pilares gêmeos da economia autossustentada: a indústria metalúrgica e a química, e os outros das indústrias-chave que registram inovações solidárias e aumento produtivo nos domínios importantes da construção econômica e setores principais de implementação da resolução do Ⅷ Congresso do Partido.

Comprovando a justeza e vigência da ideia jucheana do Partido em matéria da construção das forças paramilitares, passaram diante da tribuna as filas da Fábrica Têxtil Kim Jong Suk de Pyongyang, da Fazenda Wonhwa do condado Phyongwon etc. que fazem contribuição tanto à construção econômica quanto à defesa nacional.

Seguindo a coluna da Academia Estatal de Ciências, grande contingente de cientistas que impulsionam a prosperidade e o fortalecimento da RPDC com as ciências e tecnologias, passaram as dos Ministérios da Cultura, Esportes e Saúde Pública com a vontade patriótica de propiciar a era dourada da cultura socialista dedicando toda a inteligência, suor e paixão.

Marchou impetuosamente a coluna da Guarda Vermelha Juvenil, herdeira do espírito valioso da vanguarda infantil da luta anti-japonesa e da guerrilha infantil do tempo da Guerra de Libertação da Pátria, tomando o juramento de defender com firmeza suas queridas escolas e terras natais.

Os membros da tribuna estimularam os efetivos que marchavam com coragem manifestando ao mundo a grande vitalidade e poderoso ente material do armamento e sistema defensivo de todo o povo que não se pode ver em nenhuma outra parte do Planeta.

Estremeceram a praça os gritos de convicção e vontade que davam os integrantes de desfile com a decisão de apoiar sempre apenas o estimado camarada Kim Jong Un, General Insigne sem par, que move o mundo com sua audácia incomparável e forja o futuro maravilhoso da pátria abraçando o povo com amor e confiança e abrindo a via de vitória e prosperidade.

Iniciou-se o avanço das colunas motorizadas da Guarda Vermelha Operária-Camponês demonstrando o aspecto imponente da potência onde todo o povo empunha fortemente os fuzis convertendo o país em uma fortaleza inexpugnável em virtude da linha militar autodefensiva do PTC.

Após o bloco de motocicletas, desfilaram o de mísseis antitanques puxados pelo trator, o de artilharia antiaérea e o de artilheiros de lança-foguetes reativos disfarçados demonstrando a perfeita disposição de guerra para castigar implacavelmente os agressores.

As colunas motorizadas declararam a todo o mundo que a invencibilidade das forças armadas revolucionárias da Coreia reside não apenas no exército regular, mas também nas forças de defesa civil, capazes de cumprir de modo independente qualquer operação militar e combate da guerra moderna.

Todos os participantes dirigiram a máxima glória e agradecimento mais profundo ao invencível Comandante de Aço e patriota sem par que preparou a garantia eterna da paz verdadeira e da vitória e prosperidade de todas as gerações vindouras ao preparar o melhor potencial de defesa nacional que dissuade qualquer força hostil.

Terminado o desfile, ressoaram novamente as aclamações estrondosas e foram lançados os fogos de artifício e balões.

O Secretário-Geral respondeu cordialmente à multidão que o aplaudia.

Em vídeo

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *