A Coreia do Norte tem internet?

Iremos explicar hoje sobre o funcionamento da Internet e a Intranet na Coreia do Norte e se elas existem.

A resposta curta é sim; nas universidades, em alguns órgãos públicos do governo e em bibliotecas onde existe uma área para informática eles tem acesso a internet.

Embora a maioria dos norte-coreanos não esteja conectada à Internet internacional, existe uma intranet conhecida como Kwanmyong.

Dentro da Kwanmyong eles tem um número limitado de sites da Internet, bem como um sistema interno de e-mail e sites específicos para norte-coreanos.

Muitos artigos científicos são retirados da Internet e colocados na Intranet para acesso de toda a população.

Estrangeiros e agencias de turismo na RPDC dizem que a Internet Norte Coreana tem mais liberdade do que a da China para acessar sites no ocidente, porem várias empresas dos EUA foram proibidas pelo Governo dos EUA de transmitir qualquer coisa para a Coreia Popular.

Image for post
Os EUA proibem que filmes estrangeiros chegem a RPDC pelo netflix.

Uai, mas não era o Kim jong-un que estava proibindo o povo Norte Coreano de ver filmes estrangeiros?

Qual proposito dos EUA em proibirem esse tipo de serviço com a Coreia do Norte?

Isso é no minimo estranho, não acham?

Enquanto a mesma mídia fica citando que Kim jong-um proibiu essas coisas no país, porem em seus artigos de jornais sempre afirmam com todas as forças, mas nunca mostram sequer alguma evidencia disso…

Como tambem proibem os norte-coreanos de criarem contas em plataformas de jogos online.

Várias restrições à comunicação estão incluídas nas sanções aplicadas pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas, E nas resoluções 1718 e 1874 que restringem as transferências e comunicações entre a Coreia e o mundo.

Isso afeta a compra de equipamentos importantes para o desenvolvimento da mesma.

Se não fosse em parceria com empresas como a China Unicom (China) e a TransTelekom (Russia) provavelmente a RPDC não conseguiria ter nenhum jogo de cintura pra resistir as sanções enquanto desenvolve seu sistema de internet.

Graças a uma Joint venture da empresa estatal Coreana (Korea Post and Telecommunications Corporation) com a empresa Egípcia (Global Telecom Holding SAE) a Coreia popular passou a desenvolver a Koryolink e entregar 3G ao povo Norte Coreano.

Um pouco da história e alguns dados.

A Orascom Telecom Holding recebeu a licença para estabelecer uma rede móvel 3G na Coreia do Norte em janeiro de 2008.

A Koryolink implantou sua rede 3G para cobrir inicialmente Pyongyang, que tem uma população de mais de 3 milhões de pessoas, com um plano ambicioso de expandir sua cobertura para todo o país.

Quando o Koryolink foi lançado, o movimento foi controverso para a Orascom baseada no Egito, já que a Coreia do Norte estava sob sanções internacionais.

 
Image for post

Os ultimos dados que obtivemos acesso são de 2015, ou seja, estamos olhando para dados de 5 anos atrás, sendo que o crescimento estava indo muito acelerado para a % da população Norte Coreana em relação a sua economia.

Isso mais do que prova que não tem nada de uma elite do mal de Pyongyang que não quer deixar o povo usar a internet.

pelo contrário, a medida em que o país se desenvolve por mais que esteja completamente sancionado ao ponto de não conseguir vender nem areia ou comprar medicamentos, ele ainda esta entregando o acesso a cada vez mais pessoas.

O problema da segurança também deve ser levado em consideração: os EUA certamente invadiriam os sistemas de defesa da RPDC se ligassem todos os computadores na Internet, além de criarem uma rede produção de informações distorcidas e de fake news como já fizeram em em países que nem socialistas são, como o Brasil.

A seguir, trecho de uma entrevista com um jovem norte-coreano em Wonsan.

A primeira pergunta era: “Como um cidadão norte-coreano pode acessar sites ocidentais?”

Ele explicou que a Internet, os aplicativos e a mídia são amplamente acessíveis à população norte-coreana, mas a maioria deles usa sua própria internet (intranet).

Ele contou sobre um aplicativo semelhante ao do Facebook ou Instagram chamado “Weibo” quando entram na internet na Coreia do Norte.

Ele disse que, embora a internet ocidental seja acessível, ela é “cara, lenta e para a maioria das pessoas não vale a pena”.

Weibo é um site de microblog com base na China que, segundo ele, é usado por “uma boa quantidade” de pessoas na RPDC.

Isso vai contra o que nos dizem no Ocidente, que não há internet na Coréia do Norte ou que ela só é acessível pelo governo de forma fortemente censurada.

Hyun-Sik disse que usa uma operadora de telefonia móvel chinesa chamada “ChinaUnicom” e que pode acessar notícias ocidentais por meio dessa operadora.

No entanto, ele acrescenta que “normalmente não leio notícias ocidentais”.

Ele disse que suas principais fontes de notícias são “Russia Today, Korean Central News, China Global and Central Television, Syrian Arab News Agency, China Daily e People’s Daily”.

Isso mostra que tem acesso a fontes de notícias de diferentes países.

https://cym.ie/2018/05/28/a-conversation-with-a-north-korean-citizen/?fbclid=IwAR2PmqQ4SrO2PYUIUAIqdU4KRa8l8d9fZr-fgDBuBRlY2J_CfPizBKp8qM8

Os norte-coreanos não apenas têm acesso à Internet, como também são os melhores do mundo em programação!

 
Image for post

 
Image for post

“Kim Song Bok, estudante da Universidade Kim Il Sung, venceu o Codechef Challenge, um concurso internacional de programação de internet, que foi realizado por 10 dias a partir de 7 de agosto.

Kim ganhou a pontuação máxima de 800 ao resolver todos os oito problemas, incluindo o de alto grau de dificuldade no concurso, que contou com a presença de mais de 31.000 alunos e outros especialistas em programação de mais de 80 países e regiões.

No início de junho e julho, Mun Hak Bom, Choe Un Song e Jon Kum Song conquistaram 800 e 1 000 marcas, as melhores pontuações, no Codechef respectivamente, hasteando assim a bandeira da RPDC na Internet em sucessão.

De acordo com ele, a Universidade Kim Il Sung participa do Codechef das três competições da primeira divisão do mundo desde 2013.

Os alunos da universidade chegaram primeiro em agosto e setembro na sucessão daquele ano na competição de programação, uma competição aguda de cérebro no ciberespaço, resolvendo perfeitamente os problemas por meio de raciocínio e busca repetidos.

Naquela época, um especialista em programação estrangeiro enviou uma mensagem para a universidade pela internet:

“Eu me formei em duas universidades e tenho uma rica experiência. Vocês não são especialistas experientes, mas apenas estudantes. Mesmo assim, vocês demonstraram credenciais inacreditáveis ​​para mim e outros programadores de todo o mundo que participaram do concurso.”

Em outubro, também, eles venceram novamente, registrando uma terceira vitória consecutiva.

Posteriormente, os participantes da universidade já ergueram troféus em 19 ocasiões no concurso periódico, superando os desafios de especialistas em programação de todo o mundo, trazendo fama para sua universidade e chamando atenção especial de programadores no mundo todo.

Nascidos em famílias comuns de trabalhadores, oficiais militares e funcionários de escritório, todos nós concluímos o ensino médio na Escola Secundária Nº1 de Pyongyang.

Depois disso, melhoramos nossa tecnologia de software no bom ambiente educacional da Universidade Kim Il Sung, como desejávamos.

Queríamos retribuir o favor demonstrado pelo país com alto desempenho acadêmico, disse Ri Un Song, que começou a lecionar na universidade depois de ser o primeiro em várias ocasiões, exibindo sua habilidade excepcional nos concursos mencionados acima.”

Também conhecida como uma das capitais da liberdade e do livre mercado na Ásia.

Homem sul-coreano tentando atravessar a nado o rio Imjin para a Coreia do Norte é morto a tiros pelo exército da Coreia do Sul.

 
Image for post

 
Image for post

 
Image for post

Em 2011, a Amnistia Internacional denunciou o regime sul-coreano por condenar oito membros da Liga dos Trabalhadores Socialistas por defenderem o socialismo.

A associação quer se tornar um partido e defende a criação de um estado socialista, distribuindo cadernos ou participando de manifestações.

As sentenças para os oito membros variavam de um ano a um ano e meio e as suspensões do emprego público por três anos, como o do professor emérito Oh San Chul.

Perseguição política na Coreia do Sul

A Lei de Segurança Nacional da Coreia do Sul é usada para limitar a liberdade de expressão e silenciar os dissidentes, como denuncia a Anistia Internacional. Em 2012 , a AI denunciou que “até 31 de outubro, a polícia eliminou 67.300 verbetes publicados na web, considerando que representavam uma ameaça à segurança nacional por elogiar a Coreia do Norte” . Além disso, destaca a perseguição política de funcionários públicos por militares do Partido Democrático Trabalhista.

Em 2012, foi aberto processo a 244 funcionários e professores em aplicação das Leis dos Funcionários Públicos do Estado, da Lei dos Partidos Políticos e da Lei do Financiamento Político.

Para variar acreditamos que você não sabia da maioria das coisas que viu hoje aqui né?

Infelizmente é isso que estamos sujeitos perante o controle midiático hegemônico dos monopólios de mídia.

Quando não conseguem mais esconder o que querem esconder, usam sua máquina de propaganda sutil pra distorcer com matérias tendenciosas até você ler algo negativo e achar aceitável de alguma forma.

Nós lutamos contra isso!

Rafael Pardan, KPR – Kpop pela Reunificação

Leave a Reply

Your email address will not be published.