Proibição de nomes coreanos pelo império japonês

Pyongyang, 23 de fevereiro (ACNC) — Depois de ocupar militarmente a Coreia no século XX, os imperialistas japoneses impulsionaram atrozmente a política de extermínio da nação coreana através do domínio colonial fascista.

Impuseram aos coreanos, sobretudo, que trocassem seus nomes e sobrenomes por outros japoneses, a fim de eliminar totalmente sua consciência nacional.

Para o efeito, emitiram, em novembro de 1939, o “decreto civil modificado da Coreia” e a partir de fevereiro de 1940 começaram a forçar os coreanos a mudar seus nomes e sobrenomes.

Para praticar esta lei maligna, mobilizaram todos os órgãos de dominação e entidades pró-japonesas que a impuseram à força da baioneta.

Não permitiam o emprego daqueles que se recusavam a mudar de nome em todos os trabalhos e proibiram seus filhos de ingressar nas escolas e outras superiores, entre muitos casos de punição.

Muitos crimes de violação dos direitos humanos cometidos em países coloniais pelos imperialistas estão registrados na história, mas não há crime como a obrigação de trocar nomes e sobrenomes.

De fato, a mudança forçada de nomes da nação coreana pelos imperialistas japoneses é um crime de violação dos direitos humanos e extermínio nacional nunca visto na história.

Leave a Reply

Your email address will not be published.