Orientemos o desenvolvimento da civilização do socialismo ao nosso estilo através de uma nova revolução na construção

Pyongyang, 10 de fevereiro (ACNC) — O estimado camarada Kim Jong Un enviou, no dia 8, aos participantes do II cursilho dos funcionários do setor da construção uma mensagem intitulada “Orientemos o desenvolvimento da civilização do socialismo ao nosso estilo através de uma nova revolução na construção”.

Seu texto completo segue:

O II cursilho de funcionários do setor da construção tem lugar em um momento em que todos os setores da construção socialista borbulham com fervor revolucionário de escrever uma página gloriosa nos anais da Pátria neste ano de grande significado ao materializar cabalmente as resoluções da IV Sessão Plenária do VIII Período do Comitê Central do Partido do Trabalho da Coreia.

É muito oportuna e significativa esta reunião dos funcionários do setor da construção que desempenham um papel ativo nas principais linhas de criação e transformação nestes tempos em que se abre uma nova e grande era da construção que transformará por completo o país segundo o grandioso projeto do Partido, na qual analisarão e revisarão os êxitos, as experiências, os erros e as lições na construção dos últimos anos e assimilarão mais uma vez a ideia e a política do Partido referentes à arquitetura e à construção.

Felicito calorosamente os funcionários do setor da construção que participam deste curso com redobrado fervor de demonstrar o desenvolvimento e a majestade da arquitetura jucheana colocada em um grau superior no esforço de abrir uma nova era de ascensão e pleno desenvolvimento da construção socialista.

Igualmente, estendo minhas cordiais saudações militantes a todos os construtores e militares do país que, em resposta ao chamado do Partido, demonstram a força e o ímpeto do Estado e criam o mito de construção da era do Partido do Trabalho em todos os setores da construção de uma potência civilizada.

Na luta da etapa atual para obter nova vitória na construção socialista redobrando ao máximo a coragem nestas dificuldades sem precedentes, são muito importantes a posição e o papel do setor da construção. Se este avança com vigor conduzindo a civilização da época à frente de todos os demais setores, aumentam sem cessar o ímpeto revolucionário e o entusiasmo combativo do povo, avança com vigor o socialismo ao nosso estilo e se aproxima o futuro da grande potência.

Por esta razão, o Partido atribui grande importância ao cursilho e espera que o mesmo seja uma oportunidade transcendental para um novo salto e desenvolvimento da nossa arquitetura jucheana.

O primeiro cursilho de funcionários do setor da construção, o primeiro de seu tipo na história da construção nacional, foi um marco importante para materializar cabalmente no setor o ideal do Partido sobre a primazia das massas populares e o devir de uma era de grande prosperidade da construção.

Com este motivo, operaram-se inovações no pensar e agir dos funcionários do setor e elevou-se notavelmente o nível de desenho e prática arquitetônicos. Foi adquirida uma experiência e estabeleceu-se uma base para desenhar, segundo o nosso desejo, as edificações de formas criativas e singulares, rompendo com a anterior rigidez e esquematismo, incrementou-se a força de construção e elevou-se consideravelmente o nível técnico e de qualificação.

Foram implementadas as medidas destinadas a consolidar a base material e técnica do setor da indústria de materiais de construção, arsenal da grande construção, e houve certo avanço na tarefa de obter, com recursos nacionais, os materiais de acabamento.

Em uma palavra, nesta era de grande prosperidade da construção, nossa arquitetura e construção própria experimentaram um enorme avanço e levantaram inúmeras criações monumentais que, com todo orgulho, podemos ostentar diante do mundo.

Ter alcançado um novo horizonte na criação arquitetônica destinada a enaltecer eternamente o grande Líder Kim Il Sung e o grande General Kim Jong Il e perpetuar a gloriosa história, tradições e façanhas do Partido constitui o sucesso mais apreciável alcançado com sua fervorosa lealdade e abnegação pelos funcionários e demais trabalhadores do setor da construção, bem conscientes de sua missão e do rumo principal de nossa arquitetura própria.

Após o primeiro cursilho de funcionários do setor da construção, concluímos obras de grande envergadura equivalentes a toda uma distribuição moderna e erguemos cada ano magníficas edificações dignas de ser novos padrões e paradigmas da arquitetura jucheana na construção urbana, rural, industrial e cultural. As criações que refletem a engenhosidade e o talento de nossos designers e construtores, incluindo o centro da cidade de Samjiyon, vários vilarejos rurais, a rua Ryomyong, a de cientistas Mirae, a Fazenda de Estufas de Verduras de Jungphyong, o Palácio de Ciências e Tecnologia e a Zona de Recreação Cultural de Balneário de Yangdok, são obras-primas da nossa arquitetura jucheana que nos enchem de orgulho pelo novo aspecto da civilização da era do Partido do Trabalho.

Somente no ano passado, demos os primeiros passos importantes para alcançar a meta do Plano Quinquenal ao erguer, nas regiões de Songsin e Songhwa, modernas habitações para 10.000 núcleos familiares e impulsionar com êxito a construção de habitações para 5.000 núcleos familiares na região de Komdok, assim como, mediante a construção peculiar do distrito residencial de casas geminadas nas margens do rio Pothong, criamos um novo estilo arquitetônico e adquirimos uma boa experiência digna de ser generalizada para todo o país. Além disso, êxitos ressonantes foram alcançados nas obras de construção ao longo de todo o país, incluindo as prometidas pelo Partido ao povo, tais como o Hospital Geral de Pyongyang, a Zona Turística Costeira Wonsan-Kalma, a da indústria química de C1, a Usina Hidrelétrica de Tanchon e a remodelação das fábricas industriais locais do condado de Kimhwa.

O êxito que nos permite analisar com um orgulho especial é ter culminado com vitória o acondicionamento da cidade de Samjiyon, de grande significado político e estratégico para nosso o Partido, Estado e povo. Com ele manifestamos a vontade de todo o povo de manter as tradições revolucionárias do Partido e legar à posteridade as façanhas do Líder, criamos um paradigma da construção local e preparamos um presente para o 80º aniversário do natalício do grande General. Gostaria de aproveitar esta oportunidade para estender meus sinceros agradecimentos aos construtores, militares e todo o povo que, imbuídos do puro sentimento de lealdade ao Partido e ao líder, ajudaram espiritual e materialmente, sem poupar sua força e inteligência, o acondicionamento da cidade de Samjiyon.

Nossa grande construção socialista, de uma envergadura e magnitude sem precedentes e com caráter singular, moderno e tridimensional, foi realizada sem qualquer interrupção num momento em que o Estado e o povo enfrentam um desafio e obstáculo sem precedentes e em meio a uma luta intensa para impulsionar a grande obra do fortalecimento do poderio estatal e as transformações em diferentes setores. É uma prova palpável da férrea convicção, extraordinário espírito criador e redobrado entusiasmo patriótico do nosso povo que marcha de vento em popa rumo ao futuro luminoso do socialismo, sem nenhum titubeio ante as dificuldades, e do desenvolvimento e das potencialidades do nosso Estado que avança impetuoso para alcançar seus grandiosos objetivos.

Temos o direito de revisar com merecido orgulho os êxitos na construção e o novo salto arquitetônico nos últimos anos, os quais nos permitem vislumbrar com otimismo o resplandecente futuro de nossa arquitetura jucheana. Ao mesmo tempo, cabe a nós analisar cuidadosamente e corrigir infalivelmente os erros e os desvios que devemos tomar como lição e superar, a fim de desenvolver ainda mais tal arquitetura de acordo com nosso grandioso ideal e aspiração.

Na atualidade, o setor da construção sofre de defeitos que exigem correção urgente e não são poucos os aspectos que exigem melhor consolidação. O setor de desenho incorre no erro de não projetar os edifícios em reflexo dos gostos e sentimentos do povo, sem repetição, com peculiaridade e valor prático de acordo com seu propósito e função. Ainda estão muito atrás o design de decoração do interior, da mobília e do jardim. Continuamos recorrendo ao método de construção úmida, existe uma diferença abismal no nível de construção em diferentes unidades e obras, os materiais de acabamento dependem em grande medida da importação e é muito baixa a porcentagem da mecanização na construção. Poderíamos afirmar que todos estes são agentes principais que impedem o salto qualitativo da nossa arquitetura.

Ainda mais crucial é que os funcionários do setor da construção não assimilem adequadamente o ideal e a política do Partido sobre arquitetura e construção e sua apreciação do setor de construção para o desenvolvimento do socialismo ao nosso estilo e que, devido à sua visão estreita, são incapazes de ultrapassar outras nações.

Continua sendo um problema pendente e premente que a base material e técnica do setor não esteja suficientemente preparada para desenvolver e impulsionar a construção sem impedimento algum, de acordo com o projeto e intenção do Partido.

Com este cursilho o Partido pretende renovar o trabalho da construção em seu conjunto e conseguir outro salto qualitativo de nossa arquitetura jucheana para que alcance o nível mundial. Contamos uma equipe de designers inteligentes e talentosos que podem protagonizar e conduzir a nova era de saltos e desenvolvimento da construção, com experimentados funcionários e trabalhadores qualificados e com a capacidade de apoiar a grande construção. Corresponde a nós seguir escrevendo as páginas gloriosas da construção jucheana na história da construção socialista ao revigorar, numa nova etapa, a revolução da construção mobilizando todas essas potencialidades.

Nosso Partido traçou o ambicioso projeto de transformar radicalmente o ambiente de vida de todo o povo nos próximos vinte ou trinta anos como prazo máximo e, assim, construir um Estado socialista contemplado com admiração pelo mundo e um paraíso socialista que assegure ao povo a melhor civilização e uma vida acomodada e harmoniosa, e o setor da construção é vanguarda da realização dessa meta.

A construção é um importante trabalho político que permite ao povo sentir na própria pele a gratidão ao nosso sistema social e à política do Partido de primazia das massas populares, o conduz à civilização da nova era mediante uma percepção visual dos padrões de criação e do belo futuro a que aspiramos e o encoraja a consagrar-se à causa do patriotismo socialista com o orgulho de fazer parte de um grande Estado e a fé em um futuro melhor. Neste sentido, diríamos que a atual revolução na construção é uma tarefa orgulhosa dirigida a criar o valioso patrimônio nacional e, ao mesmo tempo, um processo da educação ideológica e da revolução cultural que conscientiza as massas e as orienta a um futuro luminoso.

Além disso, é uma premissa do desenvolvimento integral do socialismo e da melhoria da vida da população e um trabalho patriótico de longo alcance que cria um futuro civilizado.

Se não lhe pusermos um grande empenho, atendo-nos somente às atuais dificuldades, não podemos consolidar a base do desenvolvimento estatal nem proporcionar ao povo uma vida feliz. A construção é, em si, progresso, transformação e investimento no futuro. Somente ao colocá-la em primeiro lugar e impulsioná-la com audácia, podemos dotar-nos de uma nova capacidade para o desenvolvimento sustentado da economia, levantar um maior número de bases do progresso cultural e, assim, operar em todos os domínios da vida estatal e social mudanças reais que agradem ao povo.

Cabe a nós ostentar a magnificência da potência ao demonstrar com objetos reais perante o mundo um povo grandioso que, depois de superar corajosamente a pior etapa da prova e da forja com mudanças revolucionárias na construção, pavimenta o caminho com seu ideal e ambição nesta nova era de ascensão e desenvolvimento da revolução.

São muito difíceis estes momentos, mas cada uma das edificações que criamos com os nossos próprios recursos será um alicerce da felicidade do nosso povo e das gerações vindouras, uma fazenda importante para a prosperidade nacional e um monumento histórico que transmitirá à posteridade as nobres ideias e sentimentos e a elevada criatividade daqueles que vivem a época do Partido do Trabalho.

Através do cursilho, todos os participantes gravarão na mente o propósito do Comitê Central do Partido de fomentar o desenvolvimento integral da construção socialista por meio do apreço à construção e à inovação do setor, farão sua a política acerca da construção e compreenderão corretamente os assuntos que o setor deve tomar como diretrizes.

Além disso, terão plena consciência do que fizeram até hoje bem ou mal na construção, as causas dos erros e a maneira de superá-los, compartilharão os êxitos e as experiências e, com a confiança em si mesmos, avançarão para a inovação e o desenvolvimento ousados.

O rumo fundamental no atual trabalho construtivo é dar prioridade à edificação de obras que fomentem o bem-estar do povo e impulsionar simultaneamente a industrial e a transformação do território nacional visando consolidar a base da economia nacional.

Não podemos conceber o progresso e a prosperidade da sociedade à margem do alto nível da vida cultural do povo. Incumbe a nós plasmar plenamente a política do Partido e do Estado a favor do povo e a natureza intrínseca do socialismo ao proporcionar-lhe melhores habitações e excelente ambiente de vida cultural, assim como canalizar as mudanças positivas no ritmo, hábito e modo de vida e o alto nível de consciência política e cultura.

A habitação é, por assim dizer, um objeto de maior atenção do povo e uma prioridade para induzi-lo a sentir na própria pele os benefícios do sistema socialista. O cerne da política de construção lançada pelo Partido em seu 8º Congresso é tornar o país o primeiro a resolver o problema habitacional. Compete a nós suprir no fundamental sua falta a escala nacional durante o período do plano quinquenal, ao cumprir a resolução do Congresso: edificar sem falta modernas moradias para 50.000 núcleos familiares na cidade de Pyongyang; formar na região de Komdok uma cidade nos desfiladeiros, uma moderna cidade mineira povoada de habitações de estilos singulares para 25.000 núcleos familiares e, por sua vez, impulsionar em grande escala e a cada ano a construção de habitações a nível de províncias, cidades e condados.

Temos de construir muitos modernos estabelecimentos educacionais e sanitários com ótimas condições e ambiente que permitem ao nosso povo e às gerações vindouras aprender plenamente, adquirir ricos conhecimentos e cultura e desfrutar de boa saúde, materializando o quanto antes o projeto do Partido de edificar um Estado socialista civilizado. Devemos dinamizar a modernização de centros docentes a todos os níveis, serviços sanitários e laboratórios farmacêuticos, a partir das experiências e padrões já estabelecidos.

Incumbe a nós acondicionar em montes e pontos famosos os centros de repouso cultural e turísticos que harmonizem com a formosa paisagem natural, de maneira que o povo possa experimentar plena e substancialmente a civilização socialista, continuar formando peculiares jardins e parques de recreação em distintas zonas urbanas e rurais do país e habilitar melhor modernos estabelecimentos de serviço.

Nosso Partido lança como importante linha estratégica eliminar essencialmente as diferenças entre a capital e as localidades, entre a cidade e o campo.

Com o objetivo de acelerar a toda velocidade a construção das localidades e, em particular, do campo, o Partido e o Governo da República instituíram como política e lei o fornecimento regular de cimento a todas as cidades e condados. Por sua vez, a IV Sessão Plenária do VIII Período do Comitê Central do Partido apresentou a tarefa estratégica de construir por toda parte vilarejos rurais com traços próprios do socialismo ao nosso estilo e com marcadas particularidades das regiões correspondentes.

Mudar o aspecto e o ambiente das sedes urbanas e de condados e dos vilarejos rurais é uma tarefa muito orgulhosa, aclamada pelo povo e que promove a construção de uma sociedade culta. Aderindo estritamente à política do Partido sobre a construção local e rural, o Estado aumentará os investimentos enquanto as províncias, cidades e condados tomarão a iniciativa na revolução de tal construção destinada a converter todas as suas capitais e vilarejos rurais em lugares ideais do socialismo.

É necessário pôr um grande empenho na construção industrial e na transformação do território nacional para consolidar de contínuo a nova base do desenvolvimento econômico.

Nossa meta na construção industrial é renovar a base de desenvolvimento da economia nacional ao construir ou reconstruir modernamente tanto os processos de produção quanto os estabelecimentos industriais, culturais e de serviços públicos, e oferecer aos trabalhadores melhores e mais avançadas condições de trabalho e vida. Conseguirão que adquiram características próprias da nova era e resultem substanciais tanto a aparência como o conteúdo dos edifícios, tanto o funcionamento como o proveito econômico dos estabelecimentos.

Por enquanto, concentrarão as forças em obras de grande importância nacional como a da indústria química de C1, a remodelação e modernização da Fábrica de Tratores Kumsong e a construção do forno de fundição de ferro de tipo economizador de energia, e anteciparão sua inauguração.

Também levantarão grandes e modernas bases hortícolas tomando como exemplo a Fazenda de Estufas de Verduras de Jungphyong e acelerar a modernização de depósitos de cereais e fábricas da indústria local em cidades e condados.

É preciso prestar atenção à infraestrutura econômica como ferrovias, portos e usinas elétricas, bases do desenvolvimento nacional, e realizar com perseverança a transformação do território nacional, que inclui a construção de quebra-mares, estruturas hidráulicas e estradas e a regulação fluvial, com a finalidade de metamorfosear a imagem do país e defender dos desastres naturais a vida e os bens do povo e as heranças materiais e culturais obtidas com muito esforço.

Assim, mesmo que seja imensa e custosa a tarefa de construção que temos pela frente, se a levarmos a cabo com senso de responsabilidade e sem interrupção, conscientes de que é um procedimento indispensável que assegura o desenvolvimento estável do Estado e a melhoria da vida da população, tanto nossa geração como as futuras serão seus beneficiários e, num futuro próximo, o país se transformará em um paraíso socialista bonito e agradável para viver.

A primeira exigência principal que temos de manter invariavelmente na construção é implantar estritamente o sistema de direção única do Comitê Central do Partido sobre a mesma.

Como já enfatizei anteriormente, a construção é um trabalho importante destinado a materializar a política do nosso Partido de dar primazia às massas populares, elevar seu nível espiritual e cultural e remodelar a fisionomia do país, antes de ser um trabalho para criar bens materiais. Somente ao estabelecer estritamente o sistema de direção única do Comitê Central do Partido sobre o trabalho da construção, poderão colocá-la em prática de acordo com a intenção e o projeto políticos do Partido que conduz o desenvolvimento integral do socialismo ao nosso estilo e aplicar corretamente a ideia e o ideal arquitetônicos jucheanos em todos os edifícios de nossa época.

Em todos os processos da construção, desde o desenho até sua culminação, meditarão e atuarão com o enfoque em materializar o projeto e a intenção do Comitê Central do Partido e organizarão e realizarão os afazeres com a política de construção do Partido como guia único e norma absoluta. Tomarão como princípio inviolável informar a tempo ao Partido quantos problemas encaram na construção e executá-los segundo sua conclusão. Construirão somente de acordo com o plano de conformação aprovado pelo Partido e não tolerarão jamais fenômenos anormais como fazê-lo sem a conclusão do Partido, ainda que quisessem ou pudessem fazer algo mais.

A segunda exigência principal no trabalho da construção é politizar cabalmente a arquitetura.

Sem o caráter político, nossa arquitetura não tem nenhum sentido. Rechaçamos a inclinação a considerar como onipotentes a estética arquitetônica e a arte, ignorando o caráter político e ideológico e concedendo à construção um caráter puramente administrativo e econômico. Sua politização constitui o núcleo e a semente no desenvolvimento de nossa arquitetura jucheana. Tomarão como orientação invariável na arquitetura plasmar nos meios visuais o princípio de primazia do nosso Partido, ideologia, regime e nação, incluindo a apresentação de consignas ou lemas políticos nos edifícios. Farão de todos os edifícios que erguemos criações vivas que reflitam o caráter original e popular e o estilo de nosso Partido e Estado que não têm paralelo no mundo, a aspiração e o sentimento do povo e a dignidade e ímpeto da grande potência.

A terceira exigência principal é criar e desenvolver um estilo arquitetônico novo e peculiar que possa representar e simbolizar a época do Partido do Trabalho.

O estilo arquitetônico mostra diretamente a aspiração, a estética, o nível de civilização e o poderio nacional de uma determinada época. Devemos criar nosso estilo arquitetônico típico que sintetiza as formas de uma arquitetura que simboliza a civilização da época do Partido do Trabalho e os aspectos arquitetônicos que idealizamos e o introduzirão no conjunto da construção. Nisto resulta muito importante que em todos os elementos da arquitetura se perceba o aroma nacional, palpite o espírito da época e se ponha de pleno manifesto o espírito de inovação e criação. Ou seja, temos de aplicar à nossa maneira todos os requisitos da arquitetura moderna realçando a nossa própria elegância e peculiaridade.

A quarta exigência principal é assegurar em alto nível a eficiência econômica e a praticidade.

A construção necessita de colossais recursos humanos e materiais e reveste um caráter irrevogável, uma vez terminada. Pode-se conduzir com força o progresso social ou, ao contrário, impedi-lo segundo a demanda que apresenta e a qualidade que assegura. Por isso, devem fazê-la com cálculos científicos em estreita concordância com a perspectiva de desenvolvimento do Estado e assegurar a eficiência econômica e a praticidade com ótimos projetos em todo seu processo em que participam a elaboração do plano geral, o desenho, a obra, etc. Manterão o princípio do proveito real, promoverão ativamente a construção de tipo economizadora de recursos, terreno e energia conforme a tendência mundial e às condições concretas do nosso país e assegurarão a perfeição em todos os aspectos para que a construção sirva de base para o aumento da capacidade econômica e da civilização e apoie a prosperidade nacional hoje e 50 ou 100 anos depois.

Todos se levantarão com ânimo redobrado pelo auge revolucionário da grande era da construção, mantendo com firmeza o rumo e as exigências principais do trabalho da construção acima mencionados.

São necessários o avanço e a mudança desde o desenho para alcançar o desenvolvimento transcendental da construção de acordo com a intenção do Partido.

A obra excelente que resume a ideia jucheana do Partido sobre a estética arquitetônica e o ideal do povo nasce primeiro na mesa do desenho e, com este último, começamos a dar passos agigantados em direção ao país civilizado socialista.

Nosso Partido exige que em cada linha e ponto do plano reflitam a ideia, o espírito e o ímpeto da época do Partido do Trabalho e mostrem uma civilização de nível mundial. Para os designers que assumem a missão de colocar em prática tal exigência resulta imprescindível o esforço persistente por um engenho notável e inspiração que concordem com a ideia e o ideal do Partido e a aspiração do povo, e o temperamento obstinado de não reconhecer nada que não seja novo nem retroceder.

Conscientes de que cada um de seus planos contribui para realizar a linha e a política do Partido e abrir o belo futuro da pátria, meditarão e estudarão sem perder nem um segundo e redobrarão os esforços.

A tarefa central no desenho é manter o caráter jucheano e a nacionalidade, realçar a originalidade e o conforto e garantir a utilidade e a funcionalidade.

O Partido sempre sublinha que o caráter jucheano e a nacionalidade são a vida da arquitetura, enquanto os demais elementos servem de guia no desenho. A este setor incumbe observar o princípio de dar prioridade ao conforto, à estética e à infraestrutura, projetar todos os edifícios de acordo com o sentimento e o gosto do povo, a nossa realidade e a utilidade, e também de forma diversa e peculiar e, assim, abrir novos horizontes da criação arquitetônica.

O alçado é precisamente a face do edifício, e o charme deste último deve aparecer primeiro em tal representação.

No alçado é importante evitar a semelhança e repetição e destacar as características próprias de cada um dos edifícios, ou seja, assegurar-lhe os valores plásticos e artísticos realçando a sua peculiaridade estrutural para que a simples vista da sua aparência permita conhecer a sua finalidade. No desenho do alçado deve-se prestar atenção a conceber sementes singulares que reflitam de forma intensa a finalidade, a utilidade e a particularidade do edifício e a subordinar-lhes todos os seus componentes e detalhes. É de particular importância projetar edifícios sem repetição ou monotonia, concordantes com o ambiente natural e destacando as características das localidades, que podem ser uma área montanhosa, uma costa e uma planície, embora os edifícios tenham o mesmo propósito e utilidade.

É importante que um edifício, além de ser elegante em sua aparência, tenha um interior utilitário, confortável e esteticamente impecável.

Na conformação de seu interior o principal é assegurar por igual e de forma perfeita a utilidade, o conforto e os valores artísticos e plásticos. Não devem menosprezar estes valores acentuando somente a utilidade e o conforto, nem ignorar estes elementos interessando-se somente por tais valores.

É preciso prestar atenção a organizar racionalmente o plano no sentido de satisfazer as demandas funcionais de acordo com a missão e utilidade do edifício, aproveitar ao máximo sua superfície e garantir a comodidade. Ao mesmo tempo, criar e aplicar ativamente novos e diversos métodos de formação arquitetônica ao nosso estilo.

É de especial importância esmerar-se na decoração do interior, que é como uma disciplina da arte. Observarão o princípio de ajustá-la ao gosto coreano e criar uma sensação de modernidade. Aumentarão o efeito decorativo utilizando vários elementos, como o biombo e a pintura, aplicando técnicas como a decoração perfurada (N.T. – em coreano: 투각장식 – cerâmicas, louças etc. com furos em seu visual.) e localizando harmoniosamente móveis variados de acordo com seu uso.

Se empenharão particularmente em promover o estilo arquitetônico da nação e acentuar suas peculiaridades no design do exterior e interior do edifício.

O projeto de formação de um edifício é concretizado pelo desenho tecnológico, enquanto a qualidade deste último garante a qualidade e a segurança do edifício, assim como os requisitos da técnica e da engenharia.

No desenho tecnológico devem garantir a cientificidade, precisão, racionalidade e refinamento. Ao aderir estritamente ao projeto de formação e à demanda tecnológica, ratificados pelo Partido, apresentarão projetos rentabilizados e racionalizados ao máximo que possam garantir a qualidade e segurança do edifício com menos materiais e mão-de-obra e cobrir satisfatoriamente os requisitos funcionais e tecnológicos ressaltando ao mesmo tempo os gostos atuais e o efeito decorativo.

É necessário dedicar enormes esforços à elaboração do orçamento da obra por meio do desenho. Acabarão com fenômenos como criar reservas ou ocasionar desperdícios ao não calcular exatamente a mão-de-obra, os materiais e os fundos e, assim, aproveitar eficientemente cada dia de trabalho, cada grama de cimento e cada pedaço de ferro.

É imperioso produzir mudanças radicais no design mobiliário e florestal.

Atualmente é muito baixo o nível do design mobiliário, o que traz como consequência a confecção de móveis grosseiros, de má aparência e incômodos para o uso, ainda que sejam excelentes seus materiais, e a consequente degradação do interior do edifício.

Ao projetar os móveis, há que observar o princípio de garantir sua utilidade, além de harmonizá-los com o caráter do edifício e a estrutura de seu espaço interior e concordar com os gostos dos usuários. Atribuirão importância a conseguir a diversificação, plasticidade, multifuncionalidade e leveza dos móveis, converter em destacáveis aqueles que são um todo único e projetá-los de acordo com seu propósito. Na sua confecção não utilizarão apenas a madeira, mas vários materiais para torná-los mais leves e agradáveis aos olhos e escolherão cores de acordo com o espaço interior do edifício.

Na arquitetura contemporânea, a formação da área verde torna-se um importante meio de formação e o nível de florestação é um parâmetro do nível da civilização de um país.

Por ser a criação da área verde uma faceta da arte plástica, é necessário priorizar seu desenho e realizá-lo em atenção a ela.

Ao levar em consideração o ambiente, a peculiaridade topográfica e as características ecológicas das plantas, há que projetar as áreas verdes com peculiaridades plásticas para mostrar a paisagem natural destacando a presença do edifício. Se guardarão da uniformidade no design, diversificando-o para exaltar a beleza natural, localizando intensamente as árvores ornamentais, formando harmoniosamente o gramado e combinando elementos como montículos artificiais e rochas.

É preciso ampliar a visão dos designers, aprofundar o estudo da criação da área verde e fazer um bom trabalho visando introduzir, de acordo com a nossa realidade, os métodos amplamente aplicados em escala mundial.

É aconselhável elaborar bem o plano geral da construção no setor do design.

Quanto a esse projeto, antes de tudo devem definir corretamente seu ideal de acordo com a intenção do Partido, prevendo mais de 50 ou 100 anos, e elaborar o plano em perspectiva, destacando a semente e o tema e com base no cálculo científico das condições concretas das regiões e objetos correspondentes, suas circunstâncias e rumo de desenvolvimento.

Na elaboração do plano geral de construção é importante definir corretamente o eixo principal de acordo com a região e objeto, separar claramente as divisões de acordo com sua função e formar grupos arquitetônicos peculiares em cada uma das áreas. Na zona com desníveis e que não seja plana tomará como princípio localizar os edifícios aproveitando sua topografia natural e na planície é melhor dividir seções em forma quadrada e colocar nelas as construções decentes. Há que ressaltar as formas peculiares de cada um dos edifícios envolvidos na formação arquitetônica e, ao mesmo tempo, alcançar a agilidade e refinamento de sua reciprocidade artística, compatibilidade e conexão. Ao traçar um plano escrupuloso da rede de instalações técnicas que abrange o abastecimento de água, o tratamento de águas residuais, o abastecimento de eletricidade, a informática e a comunicação, se esforçarão para assegurar aos habitantes as condições e o ambiente adequados a uma vida confortável.

Investigarão e introduzirão projetos de arquitetura verde e inteligente de acordo com a tendência mundial e, desta maneira, saberão emular com nações mais avançadas na tecnologia arquitetônica. Igualmente, investirão esforços para colocar à altura mundial o nível do conjunto do desenho de construção de portos, ferrovias, estradas e pontes.

Ao superar o subjetivismo e formalismo na direção e revisão do desenho, alcançar o caráter científico e a celeridade e lograr a plena colaboração e concordância setoriais e sistemáticas entre os centros de desenho, garantirão o sucesso da construção já na fase de seu planejamento.

A qualidade da construção é a do edifício.

Para garantir essa qualidade, é primordial elevar o nível dos construtores. As unidades de construção devem empurrar com força o trabalho para que os operários possuam aptidões profissionais e categorias que lhes permitam cumprir impecavelmente qualquer tarefa. Em particular, colocarão um grande empenho em aumentar o número de qualificados capazes de realizar bem o trabalho de acabamento. Organizarão substancialmente o estudo e o ensino de técnicas e a competição de operários qualificados, agruparão racionalmente as equipes de construtores para que os novatos possam aprender e aperfeiçoar os métodos de construção trabalhando com operários de alta categoria e, assim, elevar o quanto antes o nível geral de técnica e qualificação.

No setor da construção estabelecerão corretamente o sistema de controle da qualidade da obra, introduzirão avançados métodos nesse sentido e jamais farão concessões nem conciliações quanto à qualidade.

As unidades de construção formarão uma forte equipe de direção da obra e direcionarão corretamente o trabalho para que seja realizado de acordo com a demanda da engenharia e estética arquitetônicas. Ao mesmo tempo, darão aos construtores um bom conhecimento do design, das normas do plano e dos requisitos da obra, serão muito exigentes com eles para sua estrita observância e farão um balanço rigoroso sobre a qualidade do trabalho. Uma vez que eles, incapazes de renunciar ao mau hábito e empirismo, não os tenham observado, os criticarão duramente até que se retifiquem.

Não se inclinarão exclusivamente à velocidade, como num ataque, pondo um prazo limite à obra, e atribuirão prioridade à qualidade em atenção ao princípio de primeiro a qualidade e depois a quantidade.

A qualidade e a velocidade da obra são melhoradas pelos avançados métodos de construção. É uma tarefa do setor desenvolver um novo movimento de inovação destinado a introduzi-los. Fomentarão o método de construção a seco, aperfeiçoarão nossa maneira de rebocar com a argamassa colorida e aprofundarão o estudo e a invenção de novos métodos que possibilitam economizar os materiais e a mão-de-obra. Também nas unidades de construção aplicarão incessantemente os novos e vantajosos métodos de construção.

Para impulsionar a construção sem cessar, tal como se deseja e conforme o propósito do Partido, é preciso uma maior quantidade de materiais.

Nesta nova era em que se avivam as chamas da revolução da construção, todos os ramos demandam o cimento. Cabe a nós pôr em pleno funcionamento as fábricas de cimento, impulsionando paralelamente a ampliação de sua capacidade, e construir outras modernas que tenham introduzido os avanços tecnológicos, nas regiões com condições favoráveis, conquistando, assim, a meta de sua produção traçada pelo VIII Congresso do Partido.

A partir deste ano, devemos produzir e fornecer incondicionalmente toda a quantidade de cimento destinada às cidades e condados.

À indústria de materiais de construção incumbe, acima de tudo, obter resultados substanciais na materialização da política do Partido de se autoabastecer de materiais de acabamento e diversificar os tipos, formas e cores dos materiais de construção. Podemos afirmar sem medo que somente aquele edifício construído pelo nosso projeto, nosso pessoal de construção e materiais de acabamento feitos com nossos recursos e tecnologia simboliza a nossa arquitetura jucheana.

Impulsionarão energeticamente o desenvolvimento de novos materiais de acabamento e o estabelecimento dos processos de produção com nossas matérias-primas e recursos. À indústria de materiais de construção compete definir corretamente a norma e a meta da produção no país de materiais de acabamento necessários como calorífugos, tintas para exteriores, impermeabilizantes, papéis de parede, forros de vinil, paredes pré-fabricadas, etc., além de azulejos, materiais de pedra, vidros, metais e matérias de plástico, e cumpri-las de maneira planejada.

Além de melhorar a qualidade dos materiais de acabamento e aumentar sua produção, se esforçarão para reduzir o custo de produção. Modernizarão os processos de produção, introduzirão ativamente as mais recentes conquistas tecnológicas e padronizarão os materiais de construção de acordo com gênero, qualidade, tamanho, forma e cor.

Além disso, intensificarão a investigação dos materiais da construção verde e utilizarão ao máximo sobras e resíduos na produção.

Há proteger e fortalecer a indústria de materiais de construção do país. O Estado aumentará os investimentos neste ramo, incentivará o uso de nossos materiais de construção desde o projeto arquitetônico e tomará medidas para restringir a importação de materiais de acabamento.

Devem ser consequentes no cumprimento da exigência do Partido de especializar-se na construção e concentrá-la.

O fundamental na especialização em construção é engrossar as fileiras de construtores profissionais capazes de cumprir qualquer tarefa atribuída. É verdade que a construção é uma obra de massa, mas no final das contas o princípio é que o pessoal profissional se encarregue dela.

Às empresas de construção incumbe cumprir seu papel. É necessário tomar as medidas para reajustar e reforçar a nível nacional as empresas que tenham fechado suas portas, suprir a falta de construtores e dotá-las de equipamentos modernos.

Nas empresas construtoras se esforçarão com ousadia para formar seu próprio pessoal técnico, engrossar as fileiras de operários qualificados e produzir por conta própria equipamentos e instrumentos, não só esperando a ajuda de entidades superiores.

É imprescindível construir de forma intensiva e planejada.

Para intensificar a construção é preciso, antes de tudo, planejar de forma atenta.

A nível nacional e nas províncias, cidades e condados considerarão como princípio traçar detalhadamente o plano anual de construção e executá-lo sem falta a partir de um estudo meticuloso das condições, das potencialidades e das possibilidades, tomando como guia de suas atividades a política de construção do Partido. É necessário definir corretamente o rumo e as tarefas primárias e secundárias da construção e executá-las de maneira planejada, com um cálculo exato e, sobretudo, vinculando a construção com o desenvolvimento da economia nacional e local e a meta em perspectiva para melhorar a vida do povo.

Depois de traçar o plano conforme isso, urge assegurar ordenadamente e com intensidade o desenho, as forças da obra, os materiais e os fundos, organizar e dirigir vigorosamente a construção para, assim, terminar a obra no devido tempo. Acabarão com o fenômeno de dispersar as construções sem um cálculo concreto, com subjetivismo, só para se exibir e atrasar obras desperdiçando forças, materiais e recursos financeiros.

Há que operar mudanças substanciais na tarefa de modernizar a construção e assentá-la sobre um fundamento científico.

Antes de tudo, é necessário trazer mudanças no conceito e na atitude de funcionários e construtores em relação à fundamentação científica. Sempre terão bem presente que a construção está vinculada diretamente à vida e segurança das pessoas e ao desenvolvimento socioeconômico, e assegurarão o caráter científico em todos os processos da construção como a fundação, a armação e o acabamento. Eliminarão a tendência a trabalhar com desleixo, agarrando-se ao empirismo e menosprezando as normas técnico-científicas, executarão no técnico-científico todo o processo de construção desde o desenho até a obra e, em particular, todos serão protagonistas na introdução das últimas conquistas científicas.

Aos cientistas e técnicos do setor incumbe traçar altas metas e inventar e desenvolver com uma posição independente os avançados métodos de projeto e construção, os materiais de construção, os equipamentos e instrumentos.

Através de simpósios e seminários promoverão consultas e debates sobre os problemas práticos, novos projetos e experiências, encontrarão soluções e assimilarão e generalizarão os bons êxitos.

Aos centros de ensino de construção, como o Instituto Superior de Arquitetura de Pyongyang, corresponde renovar o ensino de acordo com a ideia arquitetônica jucheana do Partido e as exigências de desenvolvimento da arquitetura moderna para formar um número maior de construtores talentosos e competentes, encarregados do futuro da nossa arquitetura. Colocarão os graduados de institutos superiores em centros especializados, como o instituto de design e a empresa de construção, para que eles cumpram seu papel em estabelecer a construção em uma base científica. As entidades de construção encontrarão os talentosos e não pouparão esforços para formá-los como porta-estandartes. Aproveitarão amplamente o sistema e os meios de divulgação científica e técnica para elevar constantemente o nível de conhecimento dos funcionários e construtores.

Atualmente, a falta de modernização é o que mais prejudica o setor da construção. Sempre que se apresentam obras de importância nacional, torna-se cotidiano mobilizar muitas pessoas, recorrendo à tática de onda humana, o que gera a constante carência de mão-de-obra, incide negativamente em outros setores, não assegura suficiente velocidade e qualidade na construção e ocasiona o desperdício de muitos materiais. O fato de ainda hoje, na era da economia do conhecimento, muitas pessoas se aglomerarem e trabalharem manualmente em um canteiro de obras é definitivamente incompatível com o alto grau de desenvolvimento que nossa arquitetura alcançou.

Há que modernizar todo o ramo de construção assumindo-a como tarefa de capital importância que não pode ser adiada por mais tempo.

Modernizarão os meios de desenho e normalizarão o sistema de divulgação dos avançados métodos e programas de desenho, criando, assim, condições necessárias para terminar o quanto antes e com qualidade qualquer design.

É necessário incrementar decisivamente a porcentagem de mecanização da construção. O Estado se esforçará para consolidar a base de fabricação de modernos equipamentos e instrumentos de construção e desenvolver e fabricar máquinas para diferentes objetivos como a construção de moradias, a industrial e a transformação do território nacional. As unidades de construção devem produzir por conta própria os simples equipamentos e instrumentos e montar periodicamente exposições de ferramentas e aparelhos inventados para generalizar os que são de grande utilidade.

É necessário intensificar a supervisão das atividades de construção.

Com uma supervisão fraca, não se pode materializar adequadamente a ideia arquitetônica jucheana e a política do Partido sobre a construção, prejudicam-se os interesses da Pátria e do povo e não se garante a segurança de edifícios.

Aos órgãos de supervisão de construção compete intensificar o controle do conjunto das construções com os princípios partidários, obedecendo estritamente às exigências da política do Partido e das leis do Estado sobre a construção. Realizarão seus trabalhos somente segundo os regulamentos estipulados pelo Estado, assumindo total responsabilidade pela qualidade das construções perante o Partido, o Estado e o povo ainda que possam ficar mal com certos indivíduos ou desonrá-los.

Exigirão a todas as unidades que procedam à construção somente com a prévia permissão de acordo com a norma e as supervisionarão rigorosamente averiguando se observam estritamente as exigências da engenharia no projeto e satisfazem as exigências arquitetônicas e estéticas da obra segundo o projeto.

Serão intransigentes no exame prévio à inauguração das obras e aumentarão a disciplina e a ordem para que não possam colocá-las em funcionamento se não tiverem passado no exame. Criticarão e combaterão sem demora as violações da lei de construção, sem levar em consideração seu motivo ou a entidade a que pertence o infrator, para que sob nenhum conceito ganhem terreno as ilegalidades.

Gostaria de aproveitar a oportunidade para enfatizar mais uma vez a construção nas localidades, especialmente no campo.

A revolução em tal construção é um trabalho de magnitude sem precedentes na história da construção socialista do nosso país que nosso Partido está determinado a realizar infalivelmente.

Será toda uma transformação encaminhada a remover a sujeira que o campo leva acumulada ao longo de sua história e levantar um campo moderno onde floresce a civilização socialista. Não é um trabalho que termina em um ou dois anos, mas um trabalho de suma responsabilidade que devemos impulsionar corajosamente e com projetos de longo e médio prazos a fim de acolher uma nova era da metamorfose das localidades e realizar o anseio secular dos agricultores.

Para tornar realidade esse propósito do Partido, urge formar o pessoal de desenho e construção nas localidades. Em virtude das medidas do Partido, se simultaneará a construção em todas as províncias, cidades e condados do país, pelo que se recorrerem à ajuda de desenhistas e construtores de nível central, jamais lhes chegará a hora de materializar a referida política do Partido.

É preciso contar com um número suficiente de designers que desempenharão o papel de precursores na construção das localidades e elevarão incessantemente o seu nível.

Este cursilho também persegue o objetivo importante de desenvolver igualmente o projeto arquitetônico da capital e das localidades, reforçando as fileiras de designers.

Quanto à construção das localidades, nosso Partido exige realçar as características peculiares das regiões correspondentes. Entre elas diferem as condições naturais e geográficas, o ambiente de desenvolvimento econômico e os costumes tradicionais, pelo que para destacar suas particularidades é necessário preparar uma equipe de desenho que conheça e reflita nos planos não só suas características naturais e geográficas, mas também suas próprias condições econômicas e costumes.

É necessário incorporar aos centros locais de desenho os homens talentosos e com ampla visão arquitetônica e elevar seu nível e papel. Os designers nas localidades aumentarão suas aptidões na prática da construção e também aprenderão muito enquanto colaboram com seus colegas de nível central. É indispensável exigi-los que elevem constantemente seu nível profissional e agilizem o acesso aos avançados dados arquitetônicos estrangeiros. Matricularão nos centros de ensino superior da construção os novos promissores, como os que têm aptidões para as belas artes, e os formarão como reservas de designers nas localidades correspondentes.

É necessário consolidar o coletivo de construtores das localidades para que possa erguer qualquer edificação por sua própria conta e com qualidade. Já enfatizei a necessidade de concluir a organização de brigadas de construção urbana e de condado e elevar seu nível de qualificação. Às províncias, cidades e condados cabe criar unidades competentes de construção ampliando as fileiras de especialistas com o método segundo o qual trabalhadores altamente qualificados e forjados em unidades ou contingentes especializados em construção sejam matrizes e ensinem suas habilidades a outros.

Na formação de construtores das localidades devem desempenhar um papel importante os comitês do Partido a nível provincial, urbano e de condado. Em tempos tão difíceis como hoje, o Partido tomou a medida de destinar uma colossal quantidade de cimento para a construção do campo, de modo a impulsionar prevendo cem anos a construção de sua localidade. Antes de tudo, é preciso consolidar seu próprio coletivo de construção. Os comitês do Partido na província, cidade e condado tomarão a consciência de que fortalecê-lo, sobretudo o de desenho, é uma firme garantia para desenvolver sua região com peculiaridade e um trabalho para obter recursos e bens.

As localidades devem encaminhar-se para acentuar suas peculiaridades ao consolidar as bases de produção de materiais de acabamento e desenvolver com seus próprios recursos e aproveitar esses materiais de excelente qualidade.

É necessário organizar com eficiência as exposições provinciais de materiais de construção que se efetuem periodicamente e fazer apropriadamente seu balanço e avaliação para, assim, fomentar sua produção com recursos nacionais e contribuir para o desenvolvimento da indústria de materiais de construção do país.

Quanto ao plano de construir as localidades e o campo de acordo com a intenção do Partido, o traçarão com o senso de realidade tomando como a maior prioridade a construção de habitações rurais e estabelecerão a rigorosa disciplina de cumpri-lo cabalmente.

Há que elevar decisivamente o senso de responsabilidade e o papel dos funcionários e outros trabalhadores do setor da construção.

Estes devem aceitar como importantes a missão e responsabilidade que assumem perante o Partido, a revolução, a pátria e o povo e desempenhar-se devidamente como força principal da atual revolução na construção.

Devem versar-se na política do Partido sobre a construção, esforçar-se com determinação para assimilar as últimas conquistas científicas e tecnológicas no setor e adquirir com fluência suas habilidades e, assim, preparar-se para que o Partido possa encarregar-lhes sem hesitação e em qualquer instante qualquer tarefa da construção.

Conscientes de que o patriotismo se manifesta na qualidade do edifício, devem despejar sua consciência imaculada, sinceridade e técnica mesmo para colocar um tijolo. Cuidarão de cada um dos equipamentos e aparelhos como as meninas de seus olhos, economizarão ao máximo os materiais e se acostumarão a fazer qualquer trabalho com esmero e dedicação.

Nesta revolução na construção há que manifestar uma vez mais o poderio da cooperação entre o exército e o povo.

Mesmo em meio à grande tensão que implicava assumir a importante tarefa de defender o Estado, nosso Exército Popular tem sido muito ativo em sua intensa batalha para abrir uma era de grande prosperidade da construção como artífice da felicidade do povo. Hoje em dia, os monumentos dignos de serem mostrados ao mundo como modelo de nossa arquitetura jucheana e as magnas obras de construção levam impregnadas a abnegação patriótica, a criatividade e o talento de nosso exército, sempre fiel às ordens e instruções do Partido. Nosso Partido jamais esquecerá suas proezas heroicas e nobre abnegação pela prosperidade nacional e a felicidade do povo. E nosso povo ficará orgulhoso em todos os momentos de ter um exército que enalteceu a grande era do Partido do Trabalho.

Como no passado, os construtores militares cumprirão impecavelmente todas as tarefas atribuídas pelo Partido à altura e no prazo fixado por este, à frente da nova revolução da construção, e, assim, manifestarão plenamente o poderio do nosso Exército Popular.

Ao aprenderem de seu espírito de cumprir as tarefas a todo custo e incondicionalmente, seu modo de trabalho meticuloso como educadores da construção e seu estilo de trabalho vigoroso e otimista, os funcionários e outros do setor da construção produzirão novos milagres e proezas em todas as obras e construirão no nível máximo cada um dos edifícios para que representem a civilização socialista ao nosso estilo.

As organizações do Partido devem desempenhar satisfatoriamente o seu papel nesta nova revolução da construção.

Se esforçarão muito por incutir nos funcionários e outros trabalhadores do setor a grandeza e as proezas do grande Líder Kim Il Sung e do grande General Kim Jong Il de ter levantado sobre as cinzas um paraíso socialista durante o pós-guerra e escrito uma nova história da arquitetura jucheana, e do nosso Partido de ter acolhido uma era de grande prosperidade da construção na era do Partido do Trabalho para, assim, cultivar neles a lealdade ardente ao Partido e ao líder e encorajá-los a dedicar-se plenamente à nova revolução na construção, orgulhosos de suas missões e ofícios.

Intensificarão entre eles a educação ideológica para equipá-los firmemente com a ideia arquitetônica jucheana e a política de construção do nosso Partido e orientá-los a plasmá-las cabalmente, de modo que materializem o projeto do Partido com sua prática na construção.

Despacharão poderosas equipes de agitação e propaganda para os locais de construção e, por meio da propaganda com meios visuais e da agitação econômica, incentivarão a força espiritual das massas e o fervor de emulação socialista, de modo que novos milagres se produzam em todos os locais de construção.

Prestarão primordial atenção à vida e segurança dos construtores, que o Partido tem em alta estima, e controlarão rigorosamente por via partidária e com total responsabilidade para que ninguém possa trabalhar sem a garantia de segurança em cem por cento.

Aos construtores de grande carga laboral assegurarão excelentes condições de abastecimento e de descanso e atenderão solicitamente aos familiares dos que trabalham longe de suas casas.

Na tarefa de proporcionar ao povo uma vida invejável e renovar a fisionomia da arquitetura jucheana ao materializar perfeitamente a ideia do nosso Partido de dar primazia às massas populares na arquitetura, os funcionários do setor da construção assumem uma tarefa muito difícil e importante.

Estou firmemente convencido de que todos os funcionários e demais trabalhadores do setor da construção seguirão realizando méritos orgulhosos em todas as frentes da nova revolução da construção, em resposta total ao grandioso projeto do Partido, em prol do fortalecimento e desenvolvimento de nosso grande Estado e do bem-estar do povo, e conduzirão vigorosamente a civilização e o desenvolvimento do nosso socialismo.

Leave a Reply

Your email address will not be published.