O principal culpado do extermínio racial – o crime dos EUA

Recentemente, os Estados Unidos, por meio de seu representante na ONU e de veículos de imprensa como o New York Times, estão questionando cegamente o fato de um atleta de origem uigur ter participado da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim como portador da tocha, e difundindo amplamente sobre o “extermínio racial em Xinjiang”.

Com relação a isto, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China refutou categoricamente que tal “extermínio racial em Xinjiang” é uma “mentira secular” e o jornal Global Times criticou duramente que transformar o certo em errado e fomentar contradições é a essência principal da disputa política norte-americana contra a China.

Então, quem é o verdadeiro culpado do extermínio racial?

Antes de procurar a resposta, queremos recomendar aos políticos americanos que leiam o longo romance Uncle Tom’s Cabin.

Esta obra, que foi escrita em 1852, critica contundentemente o sistema racista nos EUA através da descrição do escravo negro Tom, e é conhecida por ter contribuído para a eclosão da guerra civil norte-americana com sua influência.

O problema é que após o fim da guerra civil, que foi travada sob o slogan enganoso de “emancipar os escravos”, o destino dos “Toms” nos EUA não mudou em nada.

Isso podemos evidenciar muito bem pelo fato de os EUA, no ano em que terminou a guerra, ter fundado a infame organização racista Ku Klux Klan e definido como seu objetivo “lutar contra os negros pelo bem dos brancos”.

Também no século XX, os EUA, mobilizando até tanques, aviões, militares e policiais, cometeram ações sangrentas de terrorismo branco contra muitos “Toms” que gritavam desesperadamente “Eu tenho sonhos” e, assim, conquistaram a má reputação de pátria mãe do massacre racial.

Desta forma, os “Toms” que foram forçados a um destino de extinção e escravidão ao longo de décadas e séculos, neste momento também condenam severamente os EUA, potência do racismo, gritando “Não consigo respirar”.

A história e a realidade demostram claramente que os EUA são o principal culpado do extermínio racial que não tem cara para criticar ninguém.

Os EUA, antes de difamar imprudentemente os direitos humanos de outros, devem refletir profundamente sobre si mesmos.

Kang Kum Song

Pesquisador Sênior da Associação de Estudos dos Direitos Humanos da Coreia

Leave a Reply

Your email address will not be published.