Coreia esclarece rota de entrada do coronavírus no pais

Pyongyang, 1º de julho (ACNC) — O Comando Estatal de Profilaxia de Emergência anunciou, no dia 30 de junho, o resultado da investigação sobre o canal de entrada do vírus maligno que se espalhou rapidamente pelo país desde a segunda quinzena de abril.

O Partido do Trabalho da Coreia e o Estado apresentaram a orientação de esclarecer cabalmente o processo de infiltração do vírus, assunto indispensável para controlar o mais rápido possível a grave crise profilática criada no país e completar a capacidade profilática do Estado e a de seu enfrentamento a crises.

Conforme ela, o Comando organizou a comissão de investigação com os órgãos especializados correspondentes e levou adiante uma minuciosa apuração epidemiológica, científica e investigativa após estabelecer a possibilidade e a hipótese sobre a via de entrada do vírus em escala nacional.

Os resultados da investigação esclareceram que casos de febre surgiram em várias pessoas que viajavam para a capital a partir da área da comuna de Ipho do condado de Kumgang da província de Kangwon e que cresceu bruscamente o número de febricitantes entre seus contatos.

Igualmente, foi esclarecido que o caso de apreensão em massa da febre foi reportado pela primeira vez na região da comuna do Ipho.

Confirmou-se, além disso, que os febricitantes observados até meados de abril em todas as regiões e entidades do país, exceto a zona referida, padeciam de outras doenças que causavam febre, e não houve antecedente de elevação massiva da temperatura corporal.

Daí foi tirada a conclusão científica de que a comuna de Ipho do condado de Kumgang é a zona de surto da epidemia maligna em nosso país.

A comissão de investigação, composta pelos funcionários e especialistas competentes das entidades correspondentes como a filial de biotecnologia da Academia Estatal de Ciências, do Centro de Estudo de Biotecnologia e do de Virologia, do Instituto de Ciências Médicas, do Ministério da Segurança Estatal e do de Segurança Pública e da Procuradoria Central, averiguou e analisou de maneira multilateral, anatômica e geral os fatores que constituem o canal de entrada do vírus na referida zona.

Assim se esclareceu que, no início de abril, um militar de sobrenome Kim (de 18 anos de idade) e um menino do jardim de infância de sobrenome Wi (de 5 anos de idade) tiveram contato com alguns objetos estranhos em uma colina ao redor do quartel e do povoado e se observaram neles as características clínicas consideradas sintomas iniciais da infecção pelo vírus maligno, e além disso, testaram positivo para coronavírus. Desta forma, a comissão chegou a um consenso de opiniões sobre a causa da infecção pelo vírus letal.

De acordo com o resultado do exame das características clínicas, ligações epidemiológicas e teste de anticorpos, observados nos febricitantes, a comissão confirmou científica e definitivamente que o vírus se infiltrou pela primeira vez na zona da comuna Ipho do condado de Kumgang e esclareceu sua causa.

Igualmente, foi analisado o curso de propagação simultânea e múltipla desse vírus em todo o país.

O comitê estatal não-permanente de avaliação da profilaxia emergente analisou exaustivamente o esclarecimento da comissão sobre a rota de infiltração da variante Stealth Ômicron “BA.2” e avaliou que a elucidação foi feita corretamente em termos investigativo e técnico-científico, e reportou seu resultado ao Comitê Central do PTC e ao Conselho de Ministros.

Uma vez confirmado o curso de entrada do vírus maligno, o Comando Estatal de Profilaxia de Emergência emitiu a indicação de ficar alerta para objetos estranhos trazidos pelo vento e outros fenômenos meteorológicos ou balões nas zonas próximas à Linha de Demarcação e às fronteiriças, esclarecer sua fonte minuciosamente, reforçar o sistema de vigilância e aviso imediato de todo o povo e intensificar as medidas epidemiológicas nas direções profiláticas incluindo a coleta de objetos estranhos.

Leave a Reply

Your email address will not be published.